Primeiros dias de Ramadão. Confrontos em Jerusalém fazem pelo menos cem feridos e 44 detidos

São os confrontos mais violentos na cidade de Jerusalém nos últimos anos e eclodiram na sequência de uma marcha do movimento judeu de extrema-direita Lahava, contra os palestinianos.

Os confrontos entre a polícia israelita e manifestantes palestinianos fizeram mais de uma centena de feridos durante a noite em Jerusalém, indicaram esta sexta-feira fontes médicas e policiais.

O Crescente Vermelho palestiniano refere-se a 105 feridos, 20 dos quais foram transferidos para hospitais, enquanto a polícia israelita informou que 20 efetivos também ficaram feridos e que foram detidas 44 pessoas.

Trata-se dos confrontos mais violentos na cidade de Jerusalém nos últimos anos e que eclodiram na sequência de uma marcha do movimento judeu de extrema-direita Lahava, um grupo abertamente hostil contra os palestinianos.

Na quinta-feira, as forças da ordem destacaram centenas de agentes e uma unidade de cavalaria perto da Porta de Damasco, para proteger "a liberdade de expressão" dos manifestantes.

De acordo com testemunhas, durante a marcha alguns membros do movimento Lahava gritaram "morte aos árabes" provocando o confronto com os palestinianos que se preparavam para a oração noturna do Ramadão, na Esplanada das Mesquitas.

Os jovens palestinianos organizaram uma contra manifestação para bloquear a marcha tendo os incidentes ocorrido junto à entrada da Cidade Velha, situada na parte oriental de Jerusalém, anexada por Israel.

Os confrontos prolongaram-se durante a noite.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de