"Profundamente triste." Um dos principais bailarinos do Bolshoi da Rússia demite-se

David Motta Soares disse que tem "muitos amigos" na Ucrânia e não consegue imaginar tudo aquilo que estão a enfrentar.

O bailarino brasileiro David Motta Soares, um dos principais solistas do Bolshoi da Rússia, demitiu-se esta segunda-feira num gesto de solidariedade para com quem está na linha da frente do conflito na Ucrânia.

"Estou profundamente triste em anunciar que deixei o Teatro Bolshoi, os meus professores, amigos, família, lugar a que chamei de lar durante muitos anos. Não posso agir como se nada estivesse a acontecer, simplesmente não consigo acreditar que tudo isto está a acontecer de novo. Já passámos por isto, devíamos ter aprendido com o passado", escreveu o jovem de 24 anos no Instagram.

David Motta Soares disse que tem "muitos amigos" na Ucrânia e não consegue imaginar tudo aquilo que estão a passar ou como estão a "enfrentar essa situação". O brasileiro, que cresceu em Cabo Frio, a 150 quilómetros do Rio de Janeiro, chegou ao Bolshoi, a lendária academia de dança do teatro de Moscovo, aos 12 anos.

Formou-se em 2015, o mesmo ano em que subiu na hierarquia do Bolshoi para o lugar de solista líder, abaixo do bailarino principal.

A demissão do bailarino brasileiro segue-se à do diretor musical e maestro principal do Teatro Bolshoi, Tugan Sokhiev, que se demitiu no domingo por se sentir pressionado a posicionar-se sobre o conflito na Ucrânia. A Royal Opera de Londres também anunciou, a 25 de fevereiro, o cancelamento de uma temporada de apresentações dos bailarinos do Bolshoi, devido à invasão.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de