Proprietário de ginásio confessa agressões na invasão ao Capitólio dos EUA

Antigo lutador de artes marciais mistas, Scott Kevin Fairlamb foi um dos primeiros manifestantes a violar a entrada no Capitólio.

O proprietário de um ginásio do estado norte-americano de Nova Jérsia declarou-se este sábado culpado por agredir um polícia durante o ataque ao Capitólio dos Estados Unidos da América (EUA), a 6 de janeiro, sendo o primeiro a confessar-se.

Scott Kevin Fairlamb, de 44 anos, confessou-se culpado de duas acusações, obstrução de processo oficial e agressão a um elemento do Departamento da Polícia Metropolitana. As acusações indicam no máximo mais de 20 anos de prisão.

A defesa de Fairlamb disse que os procuradores federais vão recomendar uma pena de prisão de três anos e meio até quatro anos, mas o juiz não está disponível a aceitar esse termo do acordo de confissão.

O juiz Royce Lamberth definiu a leitura da sentença para 27 de setembro.

O proprietário do ginásio havia sido indiciado por 12 acusações, incluindo desordem civil, agressão a um polícia e envolvimento em violência física num edifício ou terreno restrito.

Um vídeo capturou a imagem de Scott Kevin Fairlamb a empurrar e a dar murros na cabeça de um elemento policial, de acordo com um depoimento de um agente do FBI.

"Como ex-lutador de MMA, o réu estava bem ciente da lesão que poderia ter provocado [no polícia]. As suas ações e palavras naquele dia indicam uma intenção específica de obstruir o processo do Congresso através do medo, intimidação e violência, incluindo a violência contra policiais", escreveram os procuradores.

A confissão de Scott Kevin Fairlamb surge duas semanas após um grupo de polícias ter testemunhado numa audiência no Congresso sobre os confrontos com os manifestantes pró-Trump, a 6 de janeiro, tendo cinco elementos policiais morrido naquele dia, e outro quatro cometido suicídio nos dias seguintes.

O Departamento de Justiça disse que os manifestantes agrediram 140 polícias, a 6 de janeiro, dos quais 80 eram da Polícia do Capitólio e 60 eram do Departamento da Polícia Metropolitana de Washington D.C.

Antigo lutador de artes marciais mistas, Scott Kevin Fairlamb foi um dos primeiros manifestantes a violar a entrada no Capitólio. Depois de abandonar o edifício, segundo os procuradores, Fairlamb seguiu um grupo de polícias, "gritando nas suas caras e bloqueando os seus movimentos" através da multidão.

As autoridades estimam que a 6 de janeiro dez mil pessoas marcharam em direção ao Capitólio e 800 invadiram o edifício.

Cinco pessoas morreram e 140 polícias foram atacados por manifestantes pró-Trump.

Até o momento, 550 pessoas foram indiciadas por acusações relacionadas ao ataque, incluindo 165 acusados de crimes de agressão às autoridades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de