Protesto de grupo ambientalista no metro de Londres motiva confrontos

Manifestação do movimento Extinction Rebellion em hora de ponta levou passageiros a atacar manifestantes.

Um protesto do grupo ambientalista Extinction Rebellion provocou esta manhã atrasos no metro de Londres e motivou confrontos entre passageiros e manifestantes.

Vídeos publicados nas redes sociais mostram situações de grande tensão na estação de Canning Town, onde o metro foi obrigado a parar em plena hora de ponta.

Dois manifestantes subiram para o topo da carruagem com uma faixa onde se lia "negócios como sempre = morte" e um ativista idoso colou uma das mãos à carruagem do metro.

"Faço isto por causa dos meus netos", explicou Phil Kingston, de 83 anos, filmado por um repórter do The Guardian. "Sou cristão e não gosto de ver as obras de Deus serem destruídas".

Acabou por ser detido pela 13.ª vez desde que faz parte do movimento Extinction Rebellion.

Pelo menos quatro pessoas foram detidas na sequência destes confrontos. A polícia apelou aos ativistas que não comprometam a circulação do metro, criando uma situação potencialmente perigosa para todos.

O grupo Extinction Rebellion está há duas semanas a levar a cabo uma onda de protestos visando edifícios do Estado, instituições financeiras, além de Trafalgar Square e o aeroporto. Já houve mais de 1.400 detenções.

O mayor de Londres já condenou o protesto desta manhã, lembrando que esta é "uma ação ilegal, extremamente perigosa e contraprodutiva, que causa uma disrupção inaceitável para os londrinos que usam os transportes públicos para ir trabalhar"

"Além disso é um fardo injusto para as nossas polícias, já muito sobrecarregadas. Apelo aos manifestantes que protestem pacificamente e dentro dos limites da lei."

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de