Putin propõe cimeira dos membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU

O Conselho de Segurança inclui 15 Estados-membros, dez rotativos e cinco permanentes.

O Presidente russo, Vladimir Putin, apelou esta quinta-feira a uma cimeira este ano dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU para "defender a paz" e "a civilização" face à instabilidade no mundo.

"Uma cimeira dos Estados que mais contribuíram para derrotar o agressor [nazi] e na criação da ordem mundial do pós-guerra desempenharia uma importante função na busca de respostas comuns face aos desafios e crises contemporâneas", declarou o Presidente russo no decurso das comemorações em Israel da libertação de Auschwitz.

O Conselho de Segurança (CS) inclui 15 Estados-membros, dez rotativos e cinco permanentes (Rússia, Estados Unidos, China, Reino Unido e França).

"A Rússia está preparada para esta conversação séria, em qualquer país, em qualquer local do mundo que seja cómoda para os colegas", disse, indicando que propôs a ideia a "alguns" dos chefes de Estado e "vislumbrando uma reação positiva".

Putin prevê grandes celebrações em Moscovo em 09 de maio para assinalar o final da Segunda Guerra Mundial, na presença de numerosos dirigentes.

"Esquecer as lições do passado, a divisão face às ameaças, pode ter consequências terríveis. Devemos ter a coragem não apenas de falar, mas de tudo fazer para defender e preservar a paz", sublinhou.

Na sua perspetiva, os cinco membros permanentes do CS têm "uma responsabilidade particular para salvaguardar a civilização".

"Considero que a concretização desta conferência em 2020 seria importante e simbólica, atendendo a que assinalamos os 75 anos do final da Segunda Guerra Mundial e da fundação da ONU", disse ainda.

Putin apenas fez uma referência direta ao conflito armado na Líbia, na sequência da cimeira de domingo em Berlim sobre a situação no país do Norte de África. A Rússia, geralmente apoiada pela China, opõe-se ao ocidente em numerosos temas internacionais, desde a guerra na Síria e na Ucrânia à situação na Venezuela.

As crises em torno do Irão é outra questão onde se enfrentam russos e norte-americanos. Putin tem sugerido por diversas ocasiões que a ONU se encontra numa situação de impotência ou paralisação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de