Pyongyang diz que lançamento de projétil foi "teste" para desenvolver satélite

Notícia deste sábado não inclui fotos da superfície da Terra tiradas do espaço.

O lançamento de um projétil no sábado foi mais um "importante teste" para o desenvolvimento de um satélite de reconhecimento, disse este domingo a agência de notícias oficial da Coreia do Norte (KCNA).

"A 05 de março, a Administração Nacional de Desenvolvimento Aeroespacial (NADA) da República Popular Democrática da Coreia [nome oficial da Coreia do Norte] e a Academia de Ciências da Defesa realizaram outro teste", afirmou a KCNA.

"Através do teste, a NADA confirmou a fiabilidade do sistema de transmissão e receção de dados do satélite, o sistema de comando de controle e vários sistemas de controle terrestre", indicou.

Ao contrário do que aconteceu com o lançamento de um suposto míssil balístico, em 27 de fevereiro, a notícia deste sábado não inclui fotos da superfície da Terra tiradas do espaço.

Na semana passada, a Coreia do Norte disse ter lançado um projétil para testar, entre outras coisas, o sistema de fotografia de alta definição e o sistema de transmissão de dados do satélite de reconhecimento que afirmou estar a desenvolver.

A Coreia do Norte realizou desde o início do ano nove rondas de testes de armas, um novo recorde. Para as forças armadas da Coreia da Sul, Pyongyang lançou no sábado um míssil balístico, das proximidades de Sunan, próximo da capital norte-coreana, para o mar do Japão, tendo o projétil voado cerca de 270 quilómetros e atingido uma altura máxima de cerca de 560 quilómetros.

Em 31 de janeiro, a Coreia do Norte confirmou o lançamento de um míssil balístico de alcance intermédio capaz de atingir o território norte-americano de Guam.

Também em janeiro, durante o congresso do partido único que governa a Coreia do Norte, o líder Kim Jong-un anunciou que o país iria desenvolver novos satélites de reconhecimento.

A Coreia do Norte anunciou em 2012 e 2016 ter colocado em órbita dois satélites de reconhecimento, chamados de Kwangmyongsong 3-2 e 4, mas as agências espaciais ocidentais não registaram até agora qualquer sinal emitido pelos alegados satélites.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de