Dois feridos graves com arma branca em Paris. Suspeitos já foram detidos

Escolas, creches e residências de idosos na zona foram encerrados.

Duas pessoas foram esta sexta-feira feridas com gravidade com armas brancas em Paris, junto ao edifício da antiga redação do jornal satírico Charlie Hebdo, anunciou a polícia da capital de França. A agência noticiosa AFP adianta que os dois suspeitos já foram detidos pela polícia.

A Procuradoria antiterrorismo de França já assumiu a investigação ao ataque, abrindo um inquérito por "tentativa de homicídio relacionado com ato terrorista e organização terrorista criminosa".

A informação inicial de que quatro pessoas tinham sido feridas pelo atacante foi corrigida pela polícia, que afirma agora haver dois feridos, que estão em estado grave, mas não correm perigo de vida.

A agência noticiosa Premières Lignes, que funciona no edifício, confirmou à rádio France 2 que dois dos seus trabalhadores, "um homem e uma mulher", foram feridos no ataque, ocorrido na rua.

O primeiro homem foi detido perto da Praça da Bastilha. Um segundo suspeito foi detido pouco depois, no metro de Paris.

Um responsável policial disse que foi montado um cordão policial na área, incluindo o edifício da antiga redação, depois de ter sido encontrado um embrulho suspeito.

Escolas, creches e residências de idosos na zona foram encerrados.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, suspendeu um discurso que se preparava para fazer e dirigiu-se ao centro de crise do Ministério do Interior. O ministro do Interior, Gérald Darmanin, deslocou-se ao local do ataque.

A antiga redação do jornal, na zona leste de Paris, foi palco, a 7 de janeiro de 2015, de um ataque 'jihadista' que fez 12 mortos e cinco feridos graves.

O julgamento dos presumíveis cúmplices desse e de outros ataques 'jihadistas' em Paris está a decorrer, desde o início de setembro, na capital francesa.

Notícia atualizada às 13h36

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de