Reaberto arranha-céus na China que oscilou por três vezes

A retirada do mastro "eliminou a fonte de ressonância e melhorou a dinâmica" do edifício, de acordo com os especialistas.

O SEG Plaza, arranha-céus da cidade de Shenzhen, no sudeste da China, que tremeu repetidamente em maio, vai poder voltar a "funcionar normalmente", a partir desta quarta-feira, informou o Governo local.

O SEG Plaza tremeu por, pelo menos, três vezes, entre 18 e 20 de maio, levando à evacuação do local, sem que tenham ocorrido movimentos sísmicos. As autoridades decidiram então encerrar o prédio para investigar a causa dos abalos.

A torre disposta no topo do prédio foi, entretanto, removida, após especialistas terem apontado a estrutura como causa dos tremores. Esta torre terá causado uma ressonância induzida pelo vento que se espalhou pelo edifício.

A retirada do mastro "eliminou a fonte de ressonância e melhorou a dinâmica" do edifício, explicaram os especialistas locais, que garantiram que "vibrações como as de maio não voltarão a ocorrer".

Os especialistas destacaram ainda a dificuldade em demolir a torre, que tem 51 metros de altura e pesa 236 toneladas, e cuja remoção foi feita num período de fortes ventos e chuvas.

O SEG Plaza, edifício de escritórios concluído em 2000, tem 71 andares e está localizado numa zona pedonal com vários centros comerciais.

A densa malha de arranha-céus de Shenzhen, uma das mais prósperas cidades da Ásia, é símbolo do "milagre económico" que transformou a China nos últimos 40 anos.

A cidade serviu como laboratório à abertura da China à economia de mercado, em 1979, e soma hoje um Produto Interno Bruto (PIB) superior a Hong Kong ou Singapura, dois importantes centros financeiros asiáticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de