Regulador notifica Tesla para recolher 158 mil veículos

Problema estará relacionado com falta de memória do computador de bordo, que pode aumentar o risco de acidentes.

A agência norte-americana responsável pela segurança automóvel (NHTSA) notificou o fabricante Tesla para que recolha 158 mil veículos nos Estados Unidos, devido a problemas de segurança.

De acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP), o problema estará relacionado com o esgotamento das capacidades de memória do computador de bordo, em particular com o sistema de info-divertimento, o que pode aumentar o risco de acidentes.

Em causa estão as viaturas Model S, fabricadas entre 2012 e 2018, e os 4X4 Model X (modelo citadino), produzidos de 2016 a 2018, segundo uma carta enviada ao construtor de veículos elétricos, divulgada na quarta-feira.

Na carta, o regulador afirmou que o inquérito "concluiu que existe um defeito ligado à segurança do veículo nos modelos examinados".

Segundo o regulador, a memória dos computadores de bordo, nomeadamente do sistema de info-divertimento (MCU), tem um ciclo de vida limitado, pelo que o sistema pode deixar de funcionar corretamente, causando supressões de ciclos de memória.

"Durante uma avaria do MCU, o ecrã fica negro e a câmara que mostra a vista traseira, igualmente câmara de segurança, deixa de estar disponível", pelo que "o risco de acidentes aumenta, podendo potencialmente causar ferimentos ou morte", explicou o regulador.

O problema pode afetar igualmente o Autopiloto, o sistema de assistência à condução com que estão equipados os veículos da Tesla, alertou ainda a NHTSA.

O grupo dirigido por Elon Musk pode recusar o pedido da agência federal, mas deverá nesse caso fornecer explicações até 27 de janeiro.

O caso é problemático para o grupo, já que 158 mil automóveis representam cerca de 32% de todos os automóveis vendidos pelo construtor em 2020.

A notificação surge numa altura em que as ações da Tesla estão em plena ascensão, depois de a empresa ter visto o seu valor multiplicado por sete ao longo de 2020.

Na semana passada, o fabricante de veículos elétricos ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 700 mil milhões de dólares de valor, depois de os títulos terem subido quase 3%, para 755,98 dólares, convertendo Elon Musk, que detém 18% do grupo, na pessoa mais rica do mundo.

As vendas do grupo ficam, no entanto, muito longe das feitas pelos construtores tradicionais. Em 2020, a Tesla vendeu apenas 499.550 viaturas, muito abaixo dos 11 milhões de veículos vendidos pela Volkswagen em 2019.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de