Reino Unido anuncia ainda esta terça-feira primeiro pacote de sanções contra a Rússia

Após uma reunião de crise na sua residência oficial em Downing Street, Boris Johnson disse que as sanções irão atingir os interesses económicos russos "o mais duramente possível".

O Reino Unido vai anunciar esta terça-feira um primeiro pacote de sanções económicas contra Moscovo, por ter reconhecido a independência das regiões separatistas na Ucrânia, e outras se seguirão "em caso de invasão", disse o primeiro-ministro britânico.

Após uma reunião de crise na sua residência oficial em Downing Street, em Londres, Boris Johnson disse que as sanções serão apresentadas ainda esta terça-feira ao Parlamento.

As sanções irão atingir os interesses económicos russos "o mais duramente possível", disse Johnson, citado pelas agências espanhola EFE e francesa AFP.

Johnson disse que o Presidente russo, Vladimir Putin, "quebrou completamente o direito internacional" com as suas ações em território ucraniano.

Putin assinou, na segunda-feira à noite, o reconhecimento das repúblicas separatistas de Lugansk e de Donetsk, na região oriental do Donbass, e ordenou às forças armadas russas que entrassem naqueles territórios ucranianos numa missão de "manutenção da paz".

A decisão foi condenada pela generalidade dos países ocidentais, que temiam há meses que a Rússia invadisse novamente a Ucrânia, depois de ter anexado a península ucraniana da Crimeia em 2014.

Nesse ano, começou a guerra no Donbass entre separatistas pró-russos apoiados por Moscovo e o exército ucraniano, que provocou, desde então, mais de 14.000 mortos e 1,5 milhões de deslocados, segundo a ONU.

"Gostaria de salientar que este é apenas o primeiro pacote de sanções económicas do Reino Unido contra a Rússia, pois receio que possamos esperar um comportamento mais irracional por parte da Rússia", disse Boris Johnson.

O primeiro-ministro britânico insistiu que Putin está "determinado a levar a cabo uma invasão total da Ucrânia" após reconhecer a independência das duas regiões separatistas no leste do país.

Johnson disse que no caso de uma "invasão em grande escala" da Ucrânia e de um ataque à capital Kiev, que o Presidente russo "parece estar a propor", ninguém deve ter dúvidas de que "é absolutamente vital que esta ação, a conquista de outro país europeu, não seja bem-sucedida e que Putin falhe".

"Que não haja dúvidas de que se as empresas russas não forem capazes de mobilizar capitais nos mercados financeiros britânicos (...), isso começará a doer", afirmou Johnson.

O chefe do Governo britânico tenciona fazer uma declaração no Parlamento sobre a crise ucraniana para informar sobre o que está a acontecer no terreno e que medidas o Reino Unido espera tomar.

ACOMPANHE AQUI A ESCALADA DE TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de