Reino Unido regista 892 contágios e 67 mortos nas últimas 24 horas

O país já registou mais de 46 mil vítimas mortais.

O Reino Unido registou esta quarta-feira mais 892 contágios da Covid-19 nas últimas 24 horas, face aos 670 de terça-feira, e mais 67 mortes, anunciou o Governo de Londres.

Desde o início da pandemia já foram contabilizadas 46.364 mortes pelo novo coronavírus nos centros médicos, centros de acolhimento e habitações no Reino Unido, um dos países da Europa mais atingidos pela pandemia.

No último dia ingressaram nos hospitais britânicos 183 doentes diagnosticados com a doença Covid-19, num total de 1.152 internados em todo o país, e com 77 nos cuidados intensivos.

Ao confinamento parcial decretado na cidade inglesa de Manchester e outras zonas do norte de Inglaterra juntou-se esta quarta-feira a localidade escocesa de Aberdeen, onde foi registado um aumento dos contágios.

Bares, restaurantes e outros negócios abertos ao público devem encerrar as portas esta tarde e foi limitado o acesso à entrada e saída da cidade, onde vivem cerca de 200 mil pessoas.

O Governo regional escocês identificou até ao momento 54 casos em Aberdeen e detetou 191 contactos próximos que foram isolados por precaução, apesar de as autoridades admitirem que estes números podem aumentar nos próximos dias.

Por sua vez, o Governo britânico defendeu os seus planos para retomar as aulas presenciais em todos os anos letivos a partir de setembro, apesar das advertências sobre a possibilidade de aumento das infeções.

O ministro da Educação britânico, Nick Gibb, assegurou hoje que os alunos do secundário não são obrigados a usar máscara quando regressarem às aulas, após a oposição trabalhista ter solicitado que a medida fosse estudada.

A Comissária infantil para a Inglaterra, Anne Longfield, apoiou por sua vez a reabertura dos colégios e considerou que no caso de novos surtos devem se encerrados em primeiro lugar os bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais para tentar conter a propagação do vírus.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 701 mil mortos e infetou mais de 18,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de