"Rússia escolheu o caminho da agressão." NATO condena "ataque imprudente e não provocado" à Ucrânia

Jens Stoltenberg avisa que este conflito vai por "em risco inúmeras vidas civis". O secretário-geral da NATO afirma que o ataque russo à Ucrânia é "uma grave violação do direito internacional e uma séria ameaça à segurança euro-atlântica".

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, condenou, esta quinta-feira, o "ataque imprudente e não provocado" da Rússia à Ucrânia, avisando que está a colocar "inúmeras" vidas em perigo.

"Condeno veementemente o ataque imprudente e não provocado da Rússia à Ucrânia, que põe em risco inúmeras vidas civis", disse Stoltenberg numa declaração citada pela AFP. "Mais uma vez, apesar das nossas repetidas advertências e dos nossos incansáveis esforços de diplomacia, a Rússia escolheu o caminho da agressão contra um país soberano e independente."

"Esta é uma grave violação do direito internacional e uma séria ameaça à segurança euro-atlântica. Apelo à Rússia para que cesse imediatamente a sua ação militar e respeite a soberania e integridade territorial da Ucrânia", afirmou.

Stoltenberg acrescentou ainda que a NATO está "com o povo da Ucrânia neste momento terrível".

Os embaixadores da aliança de 30 países vão realizar uma reunião de emergência esta quinta-feira para discutir o ataque russo.

Foram registadas esta quinta-feira fortes explosões em pelo menos cinco cidades da Ucrânia, incluindo na capital, Kiev, horas depois do Presidente russo, Vladimir Putin, ter anunciado o início de uma operação militar, alegando que se destina a proteger civis de etnia russa nas repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia.

Por volta das 03h00 horas, foram registadas pelo menos duas explosões no centro de Kiev, tendo sido seguidas pelas sirenes de ambulâncias, segundo jornalistas da AFP.

ACOMPANHE AQUI A ESCALADA DE TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de