Rússia intensifica ofensiva em Lugansk

Os russos estão a cercar a cidade estratégica de Severodonetsk e também tentam controlar a vizinha cidade de Lisichansk.

O exército russo intensificou os ataques aéreos e terrestres em Severodonetsk e Lisichansk, principais cidades da região de Lugansk, no leste da Ucrânia, avançou esta quinta-feira o Estado-Maior das Forças Armadas ucraniano.

"As tropas russas continuam as operações ofensivas na zona operacional leste para obter o controlo total das regiões de Donetsk e Lugansk", disse o Estado-Maior ucraniano, na rede social Facebook.

A Rússia "usou tanques, morteiros, canhões e foguetes de artilharia perto de locais como Lisichansk, Severodonetsk, Bila Hora, Vovchoiarivka, Spirne e Berestove", de acordo com o relatório, que menciona ainda ataques aéreos.

Os russos estão a cercar a cidade estratégica de Severodonetsk há semanas, onde algumas centenas de civis e soldados estão refugiados nas instalações do complexo químico de Azot.

As tropas de Moscovo também tentam controlar a vizinha cidade de Lisichansk, para tentar dominar totalmente a região de Lugansk, onde operam guerrilheiros pró-russos, tal como na vizinha zona de Donetsk.

Em Donetsk, os combates mais ferozes são pelo controlo de Sloviansk, referiu o Estado-Maior das Forças Armadas ucraniano.

Os russos querem "manter um corredor terrestre" entre o leste da Ucrânia e a Crimeia, península ocupada por Moscovo desde 2014 e "bloquear as rotas de navegação da Ucrânia na parte noroeste do mar Negro", explicou o mesmo documento.

O Estado-Maior ucraniano acrescentou que a Rússia pretende controlar algumas das áreas ocupadas na região de Kherson, no noroeste, e na região sul de Zaporijia, onde está localizada a maior central nuclear europeia, a operar já sob controlo russo.

No nordeste da Ucrânia, a zona mais atingida é a capital da região, Kharkiv, onde "os russos lançaram ataques de artilharia", referiu o relatório, que indicou ainda um aumento das operações de grupos de "sabotagem e reconhecimento".

O Estado-Maior ucraniano também disse que os russos "estão a tentar a desminar a área portuária de Berdiansk, no mar Negro, como parte dos esforços de apoio logístico".

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia já matou 4.662 civis, de acordo com dados da ONU, que sublinha que os números reais poderão ser muito superiores.

O conflito levou ainda à fuga de mais de 15 milhões de pessoas das suas casas, 7,7 milhões das quais para os países vizinhos.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de