Rússia regista pela primeira vez mais de 1000 mortes em 24 horas

Em Moscovo, o principal foco epidémico do país, foram notificados 72 óbitos e 6.545 casos.

A Rússia registou 1.002 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, pela primeira vez ultrapassando a marca de 1.000 óbitos diários desde o início da pandemia, anunciaram hoje as autoridades de saúde do país.

De acordo com as autoridades de saúde, foram registadas 33.208 novas infeções, um novo recorde diário.

Em Moscovo, o principal foco epidémico do país, foram notificados 72 óbitos e 6.545 casos, ultrapassando a barreira das 6.000 novas infeções pelo terceiro dia consecutivo.

O número acumulado de mortes por Covid-19 desde o início da pandemia na Rússia é de 222.315, embora os números oficiais sobre o excesso de mortes no mesmo período tenham triplicado esse número.

Em número de casos, a Rússia está perto de oito milhões e é o quinto país do mundo em número de casos, atrás dos Estados Unidos, Índia, Brasil e Reino Unido.

As autoridades do país pedem repetidamente que a população seja vacinada, já que a campanha de imunização está a progredir muito lentamente, apesar de a Rússia ter vacinas produzidas internamente em quantidade suficiente.

Apenas 45,8 milhões de pessoas, 31,4% da população, receberam o esquema vacinal completo.

Se essa taxa for mantida, a Rússia ainda vai demorar 140 dias para atingir a meta de 60% da população adulta vacinada.

A Covid-19 provocou pelo menos 4.878.719 mortes em todo o mundo, entre mais de 239 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de