Rússia suspende voos internacionais mas não adia regresso da tripulação da Estação Espacial

Moscovo pôs em vigor uma série de medidas anunciadas nos últimos dias, nomeadamente o encerramento de locais públicos, no combate à Covid-19.

A Rússia vai suspender todos os voos internacionais a partir das 00h00 de sexta-feira (21h00 desta quinta-feira em Lisboa) de acordo com um decreto governamental sobre novas medidas de contenção da pandemia Covid-19.

O decreto aplica-se a todos os voos de entrada e saída do território russo, exceto os aparelhos fretados e que realizam ligações especiais de repatriamento de cidadãos russos no estrangeiro.

Até ao momento a Rússia já tinha reduzido de forma gradual as ligações aéreas internacionais.

O mesmo decreto publicado esta quinta-feira faz entrar em vigor uma série de medidas anunciadas nos últimos dias, nomeadamente o encerramento de locais públicos.

O Presidente russo, Vladimir Putin, num raro discurso transmitido na quarta-feira pela televisão, decretou uma licença de trabalho com o prazo de uma semana, por causa da pandemia, e anunciou o adiamento do processo de revisão da constituição.

A agência espacial russa Roscosmos não vai adiar o regresso da tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS) à Terra no próximo mês na sequência da ameaça da Covid-19.

"Roscosmos não considera necessário adiar o regresso da tripulação da expedição 62 à Terra", disse um porta-voz da empresa espacial russa à agência de notícias espanhola EFE.

O Cazaquistão impôs uma série de restrições relacionadas com a quarentena para conter a propagação da Covid-19 e a maioria das aterragens de naves espaciais russas é realizada em Baikonur, na estepe do Cazaquistão.

"A Roscosmos está em contacto com os colegas cazaques e está a estudar alternativas para resolver esses problemas", disse a fonte.

O regresso da tripulação da ISS 62 à Terra está previsto para 17 de abril.

A aterragem é habitualmente assistida por especialistas russos, o que pode ser dificultado devido às medidas aplicadas pelo Cazaquistão e pela própria Rússia devido à pandemia.

Na ISS estão o cosmonauta russo Oleg Skrípochka e os astronautas da agência espacial americana NASA, Andrew Morgan e Jessica Meir.

A próxima expedição, composta pelos cosmonautas Anatoli Invanishin e Ivan Vagner e astronauta da NASA Chrisr Cassidy, está programada para 09 de abril.

O Centro de Preparação de Cosmonautas (CPC) vai aplicar rigorosas medidas preventivas para proteger a tripulação que viajará para a ISS a bordo do Soyuz MS-17.

O balanço oficial de Moscovo indica que no país 658 pessoas estão infetadas com o novo coronavírus e que dois pacientes morreram da doença, um deles tinha 73 anos e o outro 88 anos de idade.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de