"Saber a verdade é essencial." Desaparecimento de Madeleine McCann foi há 15 anos

Afirmando que "foi cometido um crime verdadeiramente horrível", os pais de Madeleine McCann relembram o desaparecimento da menina, agradecendo às autoridades portuguesas, britânicas e alemãs pelo "esforço conjunto".

No dia em que se assinalam 15 anos do desaparecimento de Madeleine McCann, os pais, Kate e Gerry McCann, marcam a data com uma publicação na rede social Facebook, onde referem que foi cometido "um crime verdadeiramente horrível", sendo, por isso, "essencial" saber a verdade sobre o que aconteceu na noite de 3 de maio de 2007.

Quinze anos após terem visto a menina pela última vez, os pais de Madeleine McCann começam por admitir que a cada ano que passa "não é mais difícil", mas "também não é mais fácil".

"É verdade que a incerteza cria fraqueza, o conhecimento e a certeza dão força e, por esta razão, a nossa necessidade de respostas para a verdade é essencial", escrevem Kate e Gerry. "Madeleine será sempre a nossa filha e foi cometido um crime verdadeiramente horrível. Estas coisas vão permanecer", afirmam.

Kate e Gerry McCann agradecem ainda o "trabalho e empenho contínuos das autoridades britânicas, portuguesas e alemãs". "É este esforço policial conjunto que produzirá resultados e nos trará respostas."

"Como sempre, gostaríamos de agradecer a todos pelos contínuos votos de felicidades e apoio. É um enorme conforto saber que, independentemente do tempo que já passou, Madeleine ainda está no coração e na mente das pessoas", rematam.

No mês passado, o Ministério Público de Faro constituiu arguido o cidadão alemão suspeito no caso do desaparecimento da menina inglesa Maddie McCann, no Algarve, em 2007.

Segundo a nota divulgada na página na Internet da Procuradoria da República da Comarca de Faro, o arguido foi constituído pelas autoridades alemãs, em execução de um pedido de cooperação judiciária internacional emitido pelo Ministério Público de Portugal.

Christian Brückner está a cumprir atualmente, na Alemanha, uma outra pena de prisão por uma condenação por tráfico de drogas.

Em junho de 2020, a procuradoria de Braunschweig (no centro do país) abriu um processo contra Brückner, de 44 anos, com base em "provas materiais" pelo sequestro e assassínio de Madeleine McCann.

Maddie desapareceu do apartamento turístico que a sua família alugou na Praia da Luz, no Algarve, na noite de 3 de maio de 2007, quando tinha 03 anos, retirada do quarto onde dormia com mais dois irmãos.

Até hoje é desconhecido o que aconteceu à menina britânica, num caso que levou a um processo por parte dos pais contra o inspetor da Polícia Judiciária que conduziu a investigação e que escreveu um livro polémico em que os progenitores apareciam como principais suspeitos.

Anos mais tarde, um procurador alemão afirma ter recolhido provas da alegada participação de Brückner no desaparecimento da criança, chegando mesmo a ter sido anunciado que uma análise ao seu telemóvel o dava na altura nas proximidades do aldeamento turístico de onde Maddie desapareceu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de