Bielorrússia no raio de ação das sanções da UE. Lista define "Indivíduos e entidades"

Bruxelas acrescenta todos os restantes membros da Duma à lista das sanções da UE.

A União Europeia decidiu alargar a lista de sanções aos restantes membros da Duma, incluir a Bielorrússia no espectro da mais pesada das retaliações diplomáticas. Significa que "além dos 351 membros da Assembleia nacional já listados" vão ser acrescentados os nomes de cerca de uma centena dos restantes parlamentares.

A lista adicional de sanções é dirigida a "indivíduos russos que prejudicam a integridade territorial da Ucrânia ou tiram partido da agressão que está em curso".

Num documento de trabalho, a que a TSF teve acesso, lê-se que "membros do Conselho de Segurança Nacional da Rússia, vão ser listados". O documento não especifica, se se trata da totalidade dos membros do conselho de segurança, embora isso possa ser presumido.

Seguindo o pedido dos chefes de Estado ou de governo, na cimeira que terminou esta madrugada aqui em Bruxelas, a União Europeia vai alargar a lista também "a indivíduos Bielorrussos que facilitaram a invasão da Ucrânia".

São "membros das forças armadas, do ministério da defesa, conselho de segurança nacional da Bielorrússia e dos serviços de guarda de fronteira".

A lista de sanções é extensa. Seis capítulos que se dividem em sanções económicas, sanções financeiras, sanções políticas ou sanções diplomáticas.

A União vai proibir "a aceitação de novos depósitos de cidadãos russos e ou residentes na Rússia em bancos da UE". A medida aplica-se "a indivíduos/entidades" para "todos os depósitos superiores a 100 mil euros", espera-se que a medida tenha "um impacto claro na elite russa".

Serão proibidas "exportações de bens tecnológicos" que possam ser utilizados para desenvolver armamento.

A União deve "suspender a isenção de visto para os titulares de passaportes diplomáticos russos", assim como adotará uma "suspensão das medidas de facilitação de vistos para os titulares de passaportes de serviço".

É o mais extenso pacote de sanções alguma vez aprovado em Bruxelas. A proposta foi fechada esta manhã. Esta tarde, governantes europeus vão adotar formalmente a decisão, num conselho de Assuntos Gerais, em que Portugal estará representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de