Seca está a obrigar a realojar peixes

Na Austrália, mais de 800 peixes já foram apanhados e transferidos para uma uma "nova casa". Mas os cientistas alertam que a medida pode não ser suficiente.

A Austrália está a evacuar o rio Darling, um dos maiores do país, e a realojar noutros locais os peixes que lá vivem. Numa altura em que a estação quente se aproxima (no hemisfério Sul, o verão tem início a 21 de dezembro), as autoridades estão numa corrida contra o tempo para retirar meticulosamente os peixes do rio e alojá-los noutros locais.

Só no início deste ano, cerca de um milhão de peixes foram encontrados mortos no rio, devido à seca e outras condições meteorológicas extremas - um problema que está a ser agravado pelo aquecimento global.

"A situação que estamos a enfrentar é um potencial Armagedão [batalha bíblica decisiva] dos peixes", declarou Adam Marshall, ministro da Agricultura do estado de Nova Gales do Sul, na Austrália.

Citada pela BBC News , Fran Sheldon, investigadora da Universidade Griffith, explica que as autoridades "estão a desenvolver uma operação de resgate". "Estão a trabalhar com os pescadores para conseguirem apanhar os peixes e mudá-los de sítio."

Até ao momento, cerca de 800 peixes já foram resgatados e transferidos para águas mais profundas. Mas os cientistas apontam que há centenas de milhares de outras espécies - de peixes e de vegetação - que não podem ser realojadas.

"Há mais espécies no ecossistema que vão sofrer um grande impacto se a seca continuar e as quais vão ser mais difíceis de recuperar", alerta Fran Sheldon. "É preciso haver uma resposta a longo prazo para o ecossistema para fazer a diferença."

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de