Senado francês aprova passe sanitário com modificações

O Senado quer que o passe sanitário não seja usado nos centros comerciais, por causa do acesso aos supermercados, nem nas esplanadas de bares e restaurantes.

O Senado francês aprovou esta madrugada o passe sanitário, mas com modificações, como a isenção para menores e nas esplanadas de bares e restaurantes e estas alterações serão agora revistas juntamente com a Assembleia Nacional.

Os senadores introduziram diversas alterações ao projeto vindo da Assembleia Nacional, como a utilização do passe sanitário só até ao fim do estado de urgência sanitário, que vai durar até dia 31 de outubro.

O Senado quer que o passe sanitário não seja usado nos centros comerciais, por causa do acesso aos supermercados, nem nas esplanadas de bares e restaurantes. O passe sanitário também não deve ser aplicado a menores, segundo as alterações introduzidas pelos senadores.

Os senadores querem ainda que os jovens de 16 e 17 anos não precisem da autorização dos pais para se vacinarem. Também as medidas de isolamento obrigatório para os infetados foram aligeiradas.

A segunda câmara francesa quer ainda que a obrigatoriedade para todos os restantes locais públicos comece em 15 de setembro e não em 30 de agosto, como pede a Assembleia.

Os senadores e os deputados encontram-se esta tarde numa comissão mista para se concertarem em relação a estas alterações.

Desde o início da pandemia, França contabiliza 111.638 mortos entre 5,9 milhões de infetados.

A pandemia da covid-19 provocou pelo menos 4,1 milhões de mortos em todo o mundo, entre mais de 192,5 milhões de infetados, segundo o balanço mais recente da agência noticiosa AFP.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e que se disseminou rapidamente pelo mundo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de