Sergio Moro acusa Bolsonaro de não apoiar combate à corrupção

O antigo ministro da Justiça refere ainda que no Governo brasileiro "não existe espaço para o contraditório".

Um mês depois de ter abandonado o Governo brasileiro, Sergio Moro volta a acusar Jair Bolsonaro de nada ter feito para combater a corrupção. O antigo ministro da Justiça, em entrevista à Globo, adianta que, durante os 16 meses em que integrou o Governo, verificou falta de empenho do Presidente brasileiro para eliminar a corrupção do país.

Sérgio Moro justifica que a interferência na Polícia Federal, que levou à troca do diretor-geral, foi um sinal da falta de compromisso de Bolsonaro com uma política anticorrupção.

"A interferência de Bolsonaro na polícia federal vem no âmbito de um desinteresse pelo combate à corrupção. A agenda anticorrupção foi cada vez mais esvaziada. Recentemente vimos estas alianças serem realizadas por políticos que não têm um histórico positivo", lembra o antigo magistrado.

O antigo ministro da Justiça refere que essa foi a gota de água que o fez apresentar a demissão do Executivo, até porque "já não fazia sentido continuar no Governo".

O Supremo Tribunal Federal brasileiro divulgou um vídeo, na sexta-feira, de uma reunião ministerial realizada em abril, no Palácio do Planalto, apontada por Sergio Moro como prova sobre a alegada interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

No vídeo ouvem-se palavrões e injúrias por parte do Presidente do Brasil a ministros, e a ameaça de demissão "generalizada" a quem não adotasse as medidas defendidos pelo Governo.

Do Brasil surgem críticas a Sergio Moro, uma vez que as imagens mostram o antigo ministro da Justiça a ouvir as declarações, sem reagir às palavras. O antigo ministro justifica que no Governo brasileiro "não existe espaço para o contraditório" e que é inegável o seu desconforto.

Moro foi um dos principais membros do Governo brasileiro e mantinha uma popularidade maior do que a do próprio chefe de Estado. Desde a demissão do Governo, o juiz tem-se envolvido numa acesa troca de palavras com Jair Bolsonaro.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de