Socialistas e Democratas do Parlamento Europeu nomeiam mulheres afegãs para prémio Sakharov

O grupo apela às restantes famílias políticas no Parlamento Europeu para que apoiem esta nomeação para o prémio que a instituição atribui anualmente para homenagear a liberdade de pensamento.

O grupo político dos Socialistas & Democratas (S&D) no Parlamento Europeu (PE) nomeou esta quarta-feira um coletivo de mulheres no Afeganistão para o prémio Sakharov 2021, pedindo às restantes famílias políticas que apoiem esta escolha.

A TSF sabe que entre os nomes que compõem, para já, este coletivo, estão os de Shaharzad Akbar, ​​​​​​​Sima Samar, Metra Mehran, Mary Akrami, Palwasha Hassan, Freshta Karim, Horia Mosadiq, Habiba Sarabi e Fatima "Natasha" Khalil (postumamente). Apesar de conhecidos estes nomes, a lista pode ainda aumentar.

Segundo uma nota de imprensa do S&D, o grupo - que inclui os eurodeputados eleitos pelo PS -- decidiu nomear um coletivo de afegãs que inclui "ativistas, políticas, jornalistas e professoras que têm lutado pelos direitos das mulheres, incluindo nos campos da educação e da participação política, e fizeram elas próprias parte da vida política e associativa no Afeganistão antes de os Taliban tomarem o controlo" do país.

Os S&D apelam ainda a todos os outros grupos políticos no PE para que apoiem esta nomeação para o prémio que a instituição atribui anualmente para homenagear a liberdade de pensamento.

"Devemos utilizar todos os meios possíveis para colocar a questão das mulheres e raparigas afegãs no topo da agenda internacional, para proteger os seus direitos e para proteger os ganhos que foram feitos para as mulheres afegãs nos últimos 20 anos", refere ainda o comunicado.

Maria Manuel Leitão Marques, eurodeputada socialista, adiantou à TSF que, entre as várias propostas que lhe chegaram, estavam os nomes do Bispo de Pemba e os presos em Nicarágua, mas a escolha dos eurodeputados acabou por recair num coletivo de mulheres afegãs, sendo que a maioria continua a viver no Afeganistão.

O significado da escolha para este prémio, segundo a eurodeputada, foi: "Não deixar esquecidas as mulheres que não puderam sair do seu país ou não quiseram sair do seu país, mas lá continuam a desejar ser ajudadas na luta pelos seus direitos. É importante que não as esqueçamos na ajuda humanitária."

Agora, socialistas e democratas esperam que os outros políticos no Parlamento Europeu se juntem a eles para que a proposta seja aprovada.

"Nós não temos votos suficientes para aprovar, portanto, agora temos que fazer o nosso trabalho de casa que é encontrar o apoio para a nossa proposta ser a vencedora", explicou Maria Manuel Leitão Marques.

Em 2020, o prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento, no valor de 50 mil euros, foi atribuído à oposição democrática na Bielorrússia.

Entregue pela primeira vez em 1988 a Nelson Mandela e Anatoli Marchenko, o prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento é um tributo prestado pela União Europeia ao trabalho desenvolvido em prol dos direitos humanos.

O ex-presidente timorense Xanana Gusmão (1999) e o bispo emérito do Lubango (Angola) Zacarias Kamwenho (2001) integram a lista de laureados.

Os taliban tomaram o controlo de Cabul em 15 de agosto, depois de terem entrado na capital sem encontrar resistência, com quase todas as províncias debaixo do seu domínio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de