Timor-Leste entra na terceira vaga com pior semana desde setembro

Praticamente sem casos desde o início de outubro, Timor-Leste registou este ano um aumento significativo de novas infeções.

Timor-Leste registou a pior semana desde setembro com quase 500 novos casos de Covid-19 registados até domingo, entrando oficialmente na terceira vaga da doença, referiu o boletim epidemiológico semanal.

"A variante Ómicron da Covid-19 foi detetada em pessoas que vivem na comunidade em Timor-Leste, sem história de viagens internacionais recentes. A proporção de testes positivos aumentou. Timor-Leste entrou na sua terceira vaga da pandemia COVID-19", de acordo com o texto do Pilar 3 do Ministério da Saúde timorense, em conjunto com a 'task-force' para Prevenção e Mitigação da Covid-19 e o Instituto Nacional de Saúde do país.

No mesmo período, o boletim indicou terem sido registadas 13 hospitalizações, depois de vários meses sem incidências. Pelo menos 686 pessoas necessitaram u de hospitalização desde o início da pandemia da Covid-19.

"Na última semana a taxa de positividade foi de 13,1% com 367 testes positivos entre 2.811 testes realizados", acrescentou.

"A taxa de incidência diária de notificações nos últimos sete dias aumentou para 5,1 por 100 mil pessoas em Timor-Leste, tendo em Díli aumentado para 18", referiu.

Nas últimas 24 horas, o país registou 75 casos, com 532 ativos, e três novas hospitalizações, num total de 15.

Praticamente sem casos desde o início de outubro, Timor-Leste registou este ano um aumento significativo de novas infeções, com a confirmação de que a variante Ómicron está presente no território.

"A variante Ómicron é extremamente infecciosa, e é provável que muitas pessoas em Timor-Leste sejam infetadas nas próximas semanas. Para pessoas vacinadas, a variante Ómicron geralmente causa sintomas mais suaves do que a variante Delta", referiu o boletim, que conta com a participação da Organização Mundial de Saúde, das Equipas de Apoio Médico Australiano (AusMAT), da Menzies School of Health Research, do Northern Territory Centre for Disease Control e do Como Consortium.

"Algumas pessoas continuarão a ficar muito doentes, especialmente as pessoas que não estão vacinadas. E se se espalhar rapidamente pela comunidade, pode levar a uma pressão significativa no sistema de saúde", explicou, apelando à vacinação.

Na última semana foram dadas cerca de 3.000 vacinas, com 71,8% da população já com a primeira dose e 60,4% com a vacinação completa. Até ao momento, 6.832 receberam a dose de reforço.

"As pessoas que já tiveram Covid-19 antes podem ser reinfetadas com a variante Ómicron. Qualquer pessoa que não esteja bem deve usar uma máscara e evitar o contacto com outras pessoas para reduzir o risco de transmissão adicional", alertou.

"Pessoas com Covid-19 sem sintomas ou apenas sintomas leves, devem isolar-se em casa. Hospitais e outras instalações de saúde do Governo estão preparadas para gerir doentes com casos moderadas ou graves, e os doentes que necessitam de internamento hospitalar por outras razões", acrescentou o boletim.

Desde o início da pandemia, Timor-Leste registou 20.403 casos da Covid-19 e 122 mortes.

A Covid-19 provocou pelo menos 5,723 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado no sábado.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante do mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de