Tragédia na Indonésia. Tumulto em estádio de futebol faz 125 mortos

Os adeptos descontentes invadiram o campo e envolveram-se em confrontos com as claques da equipa rival, provocando o caos no estádio. Campeonato foi suspenso durante uma semana.

Pelo menos 125 pessoas morreram na sequência de uma debandada no final de um jogo de futebol na Indonésia, anunciaram este domingo as autoridades locais, tornando o incidente numa das piores tragédias ocorridas num estádio.

O balanço anterior, feito às 10h30, apontava para 174 mortos mas as autoridades corrigiram esses dados ao final do dia (hora local) para 125, explicando ter existido "um erro no registo" nos hospitais que tratavam as vítimas, disse a Polícia Nacional.

As autoridades tinham alertado para a possibilidade de o número de vítimas mortais aumentar, dada a gravidade dos ferimentos de algumas das pessoas.

Trata-se de uma das piores tragédias de sempre num estádio de futebol, depois dos 318 mortos em confrontos entre adeptos do Peru e da Argentina no Estádio Nacional de Lima, em 1964.

O incidente ocorreu no sábado à noite, Estádio Kanjuruhan, na cidade de Malang, em Java Oriental, após a derrota da equipa da casa, o Arema FC (clube onde joga o português Sérgio Silva, que entrou em campo neste jogo), frente ao Persebaya Surabaya, por 3-2. Dois dos golos foram apontados pelo luso-guineense Abel Camará.

Foi a primeira derrota do Arema em casa no dérbi reigonal com o Persebaya em 23 anos, segundo o jornal indonésio Kompas.

Milhares de adeptos claque do Arema, conhecida como "Aremania", reagiram atirando garrafas e outros objetos a jogadores e elementos das equipas.

Os adeptos descontentes invadiram o campo e envolveram-se em confrontos com as claques da equipa rival, provocando o caos no estádio.

A polícia reagiu e disparou gás lacrimogéneo, inclusive em direção às bancadas do estádio, causando o pânico entre a multidão.

Centenas de pessoas correram para uma porta de saída numa tentativa de escapar não só à violência, mas também ao gás lacrimogéneo.

Algumas morreram de asfixia, enquanto outras foram espezinhadas até à morte, disseram as autoridades locais.

Os tumultos espalharam-se para fora do estádio, onde dois agentes da polícia foram mortos e pelo menos cinco veículos da polícia foram incendiados.

Sobreviventes disseram que muitos espetadores em pânico foram apanhados pela multidão em fuga quando a polícia disparou gás lacrimogéneo, segundo a AFP.

Num discurso televisivo, o Presidente indonésio, Joko Widodo, ordenou "uma avaliação abrangente dos jogos de futebol e dos procedimentos de segurança".

A federação indonésia anunciou a suspensão do campeonato da primeira divisão por uma semana, e proibiu o Arema FC de jogar no seu estádio jogos até ao fim da temporada.

Notícia atualizada às 14h30

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de