Três passageiros salvam-se a nado após naufrágio. Um deles foi mordido por um tubarão

Embarcações e um helicóptero continuam a realizar buscas nas águas entre Díli e a ilha de Ataúro na tentativa de encontrar quatro pessoas ainda desaparecidas.

Embarcações da marinha e da polícia timorense e várias privadas e um helicóptero continuam a realizar buscas nas águas entre Díli e a ilha de Ataúro na tentativa de encontrar quatro pessoas de um barco que naufragou.

"Nesta altura estou a bordo da lancha Lusitânia que está com outra lancha da unidade de polícia marítima a realizar buscas nas águas", disse à Lusa o vice-ministro do Interior timorense, António Armindo, em contacto telefónico.

"Estão ainda envolvidos na busca embarcações do componente naval das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), e barcos privados e da população de Ataúro. Os quatro ainda não foram encontrados", sublinhou.

Antonio Armindo falava à Lusa ao largo de Díli, onde decorrem desde sábado buscas depois de uma pequena embarcação com sete pessoas a bordo ter naufragado quando viajava de Díli até Ataúro.

Um dos familiares dos passageiros de uma pequena embarcação que naufragou no sábado entre Díli e a ilha de Ataúro disse à Lusa que três dos sete passageiros foram este domingo encontrados numa praia da capital, para onde nadaram agarrados a madeira do barco.

"O barco afundou a meio do caminho. Três conseguiram nadar juntos, agarrados a madeira até à praia de Cristo Rei Dolok Oan", disse à Lusa Isazelia Pacheco, familiar do grupo de sete homens que seguia na embarcação.

"Um deles foi mordido por um tubarão e estão agora os três no Hospital Nacional Guido Valadares (HNGV)", explicou. Os três estão em condição estável.

Durante as últimas horas chegaram a circular rumores de que os restantes quatro passageiros teriam conseguido chegar a Ataúro a nado. A informação foi desmentida por Antonio Armindo e outras fontes da polícia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de