Uber vai eliminar 3700 postos de trabalho

O presidente executivo da empresa vai renunciar ao salário até ao final do ano.

A Uber anunciou esta quarta-feira que vai despedir 3700 funcionários, cerca de 14% do total de trabalhadores, para reduzir os custos e enfrentar a crise provocada pela pandemia de Covid-19.

A eliminação de empregos vai concentrar-se nas equipas de atendimento ao cliente e contratações, explicou a empresa num documento enviado ao regulador bolsista norte-americano.

A plataforma de transporte de passageiros anunciou também que o seu presidente executivo, Dara Khosrowshahi, vai renunciar ao salário base até ao final do ano para reduzir os gastos da empresa.

No último exercício, Dara Khosrowshahi ganhou por essa via um milhão de dólares, mas a maior parte da sua remuneração foi feita através de bónus e ações, segundo a agência Efe.

Depois de ser conhecida esta informação, os títulos da Uber recuavam cerca de 2% na bolsa de Nova Iorque.

A empresa tem previsto anunciar na quinta-feira os resultados trimestrais, que devem permitir conhecer melhor o impacto da pandemia na sua atividade.

A principal concorrente da Uber nos Estados Unidos, a Lyft, também anunciou na semana passada um corte de 17% dos seus funcionários.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de