Ucrânia corta relações com Síria após reconhecimento de repúblicas separatistas

Zelensky refere que "a pressão para sanções" contra Damasco, aliado da Rússia, "será ainda maior".

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky anunciou quarta-feira o corte de relações diplomáticas com a Síria, após o regime de Damasco reconhecer a independência das repúblicas separatistas pró-russas de Donetsk e Lugansk, apoiadas por Moscovo desde 2014.

"Não existirão mais relações entre a Ucrânia e a Síria", garantiu Zelensky num vídeo divulgado no Telegram, onde afirmou também que "a pressão para sanções" contra Damasco, aliado da Rússia, "será ainda maior".

A Síria anunciou tornou-se hoje, ao início do dia, no primeiro país estrangeiro a reconhecer a independência das repúblicas separatistas pró-Rússia de Donetsk e Lugansk.

Antes de Damasco, apenas a Rússia tinha reconhecido, em fevereiro, a independência dessas duas regiões, localizadas no leste da Ucrânia, poucos dias antes de iniciar a invasão ao país.

Esta não é a primeira vez que a Síria manifesta o seu apoio a territórios previamente reconhecidos como independentes pela Rússia, tendo acontecido o mesmo, em 2018, com as regiões separatistas da Abkhazia e da Ossétia do Sul, na Geórgia.

Síria e Rússia são países aliados há várias décadas, mas os laços foram recentemente fortalecidos pelo conflito sírio e pela intervenção militar de Moscovo no mesmo, ao lado do regime de Bashar al-Assad.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de