Ucrânia fala em quase seis mil soldados russos mortos, negociações pendentes e outros destaques TSF

Presidente da Ucrânia insistiu que a Rússia não pode vencer esta guerra com as "bombas, ataques e foguetes" que têm chovido nas cidades ucranianas.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acredita que quase seis mil tropas russas foram mortas nos primeiros seis dias de guerra. No entanto, a Rússia ainda não confirmou estas perdas.

Zelensky pediu também aos judeus de todo o mundo para que "não permaneçam em silêncio" depois do ataque de terça-feira contra a torre de televisão de Kiev, construída no local de um massacre do holocausto.

Do lado russo, o exército garantiu ter conquistado a cidade de Kherson, enquanto os separatistas pró-russos anunciaram ter conseguido bloquear totalmente Mariupol, também no sul da Ucrânia.

Enquanto isso acontece, o Kremlin disse que uma delegação russa está pronta para continuar as conversações de paz com a Ucrânia.

As autoridades ucranianas ainda não confirmaram um novo encontro.

No seu primeiro discurso no Estado da União enquanto Presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden voltou a afirmar que os norte-americanos não vão entrar no conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

A TSF foi visitar o edifício do Museu de Artes de Lviv, que tem uma torre de vigia que se destaca por ser antiga, altiva e medieval. A porta é estreita, mas depois de atravessada, o que vai lá dentro não é a calma e o silêncio habitual nos museus. Há um corrupio, um formigueiro, um exército de mulheres ucranianas, de todas as idades, que tecem redes de camuflagem que hão de servir para esconder blindados, tanques e trincheiras, na linha da frente.

Nesta mesma cidade ucraniana, as sirenes voltaram a tocar esta quarta-feira de manhã, trazendo com elas a "preocupação" de uma possibilidade de bombardeamento. Na praça principal da cidade, o enviado da TSF Pedro Cruz reporta que o alerta não espalha o "pânico" nem o "terror" depois de, nos últimos dias, este sinal sonoro se ter tornado recorrente.

O Banco da Rússia informou que vai manter a bolsa de valores de Moscovo fechada pelo terceiro dia consecutivo, no mesmo dia em que o maior banco russo anunciou que vai abandonar o mercado europeu.

Quase 836 mil refugiados fugiram do conflito na Ucrânia para os países vizinhos, por segurança. De acordo com os dados da ONU divulgados pela agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), ao todo fugiram do país 835 928 pessoas. Uma subida significativa face aos 677 mil anunciados na terça-feira à tarde por Filippo Grandi, alto comissário da ONU para os refugiados.

Em Portugal, de acordo com o INE, "tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 4,2% em fevereiro" quando em janeiro foi de 3,3%.

Já a taxa de desemprego subiu para 6% em janeiro, mais 0,2 pontos percentuais do que no mês anterior, mas menos um ponto percentual em termos homólogos, anunciou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê o regresso da chuva no final desta quarta-feira, com intensidade em algumas regiões de Portugal continental, nomeadamente no região Sul, litoral Norte e Centro e também no Minho. A precipitação deverá depois estender-se ao resto do país na quinta-feira, com previsão de neve nas regiões altas, tal como conta à TSF a meteorologista do IPMA Paula Leitão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de