UE ameaça Bielorrússia com novas sanções se acolher armas nucleares russas

O Presidente russo anunciou que a Rússia iria colocar armas nucleares táticas na Bielorrússia.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, avisou este domingo que a União Europeia (UE) está pronta para adotar novas sanções contra a Bielorrússia se este país aceitar armas nucleares russas no seu território.

"O acolhimento de armas nucleares russas pela Bielorrússia constituiria uma escalada irresponsável e uma ameaça à segurança europeia. A Bielorrússia ainda pode impedir isso. A UE está pronta para responder com mais sanções", assegurou Josep Borrell numa mensagem na rede social Twitter.

No sábado, o Presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que a Rússia iria colocar armas nucleares táticas na Bielorrússia e que 10 aviões já tinham sido equipados para estarem prontos para usar esse tipo de armamento.

No final de fevereiro, a UE anunciou a extensão das suas sanções contra a Bielorrússia por um ano, por causa da repressão do regime do Presidente Alexander Lukashenko e pelo seu apoio à invasão russa da Ucrânia.

No âmbito dessas sanções, Lukashenko e 194 outras figuras do regime foram proibidos de entrar na UE e os seus bens foram congelados.

Além disso, 34 entidades da Bielorrússia foram sancionadas e todos os financiamentos europeus estão proibidos.

A Bielorrússia também está sujeita a sanções económicas específicas, incluindo restrições no setor financeiro, comércio, bens de uso duplo, telecomunicações, energia e transporte.

Este domingo, o alto representante da UE para Assuntos Externos admitiu novas sanções, como forma de conter a retórica nuclear de Putin.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de