UE recebe até domingo doses suficientes para ter 70% da população adulta vacinada

A presidente da Comissão Europeia declarou que "a União Europeia manteve a palavra e cumpriu a sua promessa".

A União Europeia vai receber até domingo doses suficentes para vacinar 70% dos adultos europeus., adiantou a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen.

Os 70% eram o objetivo traçado para atingir a imunidade de grupo. Mas os especialistas alertam que, por causas das variantes, esse valor pode já não ser suficiente.

Nesta curta declaração esta manhã em Bruxelas, a presidente da Comissão Europeia lembrou, no entanto, que não bastam as vacinas para conter a pandemia

Em Portugal, quase 40% da população tem a vacinação completa, e 60% dos portugueses já tomou pelo menos uma dose da vacina.

Os 27 Estados-membros têm garantido a administração das vacinas, com diferentes ritmos nas inoculações. De acordo com a AFP, a presidente da Comissão Europeia declarou que "a União Europeia manteve a palavra e cumpriu a sua promessa".

O esquema comunitário de encomendas de doses de vacinas garantiu a entrega de 330 milhões de doses da BioNTech-Pfizer, de cem milhões da AstraZeneca, e de 50 milhões da Moderna e 20 milhões de doses da Johnson & Johnson.

Existem na União Europeia 366 milhões de adultos.

"Este fim de semana, entregamos vacina suficiente aos Estados-membros para imunizar totalmente pelo menos 70% da população adulta neste mês. Até amanhã [domingo], 500 milhões de doses terão sido distribuídas em todas as partes da Europa", disse von der Leyen.

"A Covid-19 ainda não foi derrotada. Mas estamos prontos para continuar a fornecer vacinas - também contra novas variantes. Agora os Estados-membros devem fazer tudo o que puderem para garantir que a vacinação progrida. Enquanto estaremos todos seguros", prosseguiu.

Face à epidemia provocada pelo coronavírus pela Europa, no ano passado, a Comissão Europeia - que anteriormente desempenhava um papel fraco na política de saúde - interveio para coordenar um programa conjunto de aquisição de vacinas para os membros.

A UE foi inicialmente criticada pela sua lentidão em reagir e negociar contratos com os laboratórios. Numa altura em que a produção de vacinas ainda era reduzida, algumas empresas, nomeadamente a AstraZeneca, não garantiram as entregas que a UE esperava.

No entanto, quando a produção de vacinas aumentou, as doses encomendadas começaram a chegar.

"A UE está à altura da tarefa", disse Von der Leyen, satisfeita com o cumprimento da meta que a Comissão havia estabelecido para julho.

"A nossa campanha de vacinação tem acelerado bastante desde o início do ano. A abordagem comum é um sucesso. Só juntos podemos sair bem desta crise", afirmou a presidente da Comissão.

A UE está também a contribuir para o mecanismo Covax de entrega de doses a países menos desenvolvidos e pré-encomendou vacinas para o próximo ano, em antecipação à expansão de novas variantes do coronavírus.

De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, apenas 44,1% dos adultos com mais de 18 anos estão totalmente vacinados na União Europeia e no Espaço Económico Europeu.

* Atualizado às 12h30

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de