UE pode ter mais 65 a 70 mil milhões de euros por ano para gastar na defesa

O comissário europeu do Mercado Interno, Thierry Breton, defende que a invasão da Ucrânia pela Rússia acelerou "esta tomada de consciência" por parte dos parceiros europeus.

O comissário europeu do Mercado Interno, Thierry Breton, disse esta sexta-feira que um aumento para 2% do PIB nos Estados-membros das despesas com a defesa se pode traduzir em mais 65 mil milhões de euros anualmente para este setor.

Em entrevista hoje à rádio francesa Franceinfo, o comissário disse que caso os países europeus aumentassem o seu investimento na Defesa para o valor aconselhado pela NATO, cerca de 2% do PIB, a União Europeia teria disponíveis entre 65 a 70 mil milhões de euros a mais por ano para comprar armamento.

Apesar de investir mais na defesa do que a Rússia, o comissário europeu indicou que "tem de haver mais coordenação" entre os 27 de forma a "aumentar a eficácia" das forças europeias.

Breton considerou que a invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, acelerou "esta tomada de consciência" por parte dos parceiros europeus.

Estas declarações ocorreram à margem do Conselho Europeu, que termina hoje em Versalhes, França, onde está prevista uma declaração que visa "aumentar substancialmente as despesas de defesa", relembrando o compromisso de defesa mútua dos 27.

Este será um apelo importante especialmente para a Finlândia e a Suécia, dois Estados-membros que não pertencem à NATO e que recentemente foram alvo de ameaças por parte de Moscovo.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que causou já a fuga de mais de 2,5 milhões de pessoas para os países vizinhos -- o êxodo mais rápido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, e muitos países e organizações impuseram sanções à Rússia que atingem praticamente todos os setores, da banca ao desporto.

A guerra na Ucrânia, que entrou esta sexta-feira no 16.º dia, provocou um número ainda por determinar de mortos e feridos, que poderá ser da ordem dos milhares, segundo várias fontes.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de