UE quer cortar ligação da Rússia com o sistema financeiro global

"Queremos isolar a Rússia financeiramente" e "secar o financiamento" da sua economia, declarou o ministro da Economia francês. Bruno Le Maire acrescentou que objetivo da UE é "dobrar a economia russa", mas admite que isso "levará o seu tempo".

A União Europeia (UE) "quer cortar todos os laços entre a Rússia e o sistema financeiro global", disse esta sexta-feira o ministro da Economia francês, após o anúncio de um novo conjunto de sanções contra Moscovo.

"Nós queremos isolar a Rússia financeiramente (...). Nós queremos secar o financiamento" da economia russa, declarou Bruno Le Maire à imprensa pouco antes do início de uma reunião dos ministros da Economia e Finanças da União Europeia (Ecofin), em Paris.

"O nosso objetivo é dobrar a economia russa e isto levará o seu tempo", disse Le Maire, no dia a seguir ao anúncio das sanções europeias à Rússia.

"A Rússia é um parceiro económico secundário da França", disse Le Maire, depois de consultar várias federações empresariais, incluindo os setores automóvel, nuclear e aeronáutico.

A reunião dos ministros da Economia e Finanças da União Europeia realiza-se entre hoje e sábado, em Paris, e a invasão da Ucrânia pela Rússia tornou-se um dos temas principais do encontro.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar em território da Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocou pelo menos meia centena de mortos, 10 dos quais civis, em território ucraniano, segundo Kiev.

Putin disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa "desmilitarizar e desnazificar" o seu vizinho e que era a única maneira de o país se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário, dependendo dos seus "resultados" e "relevância".

O ataque foi de imediato condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), UE e Conselho de Segurança da ONU.

ACOMPANHE AQUI A ESCALADA DE TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de