Um morto e 29 feridos após explosão em fábrica de produtos químicos na Tailândia

Fábrica produz espuma de poliestireno e fica perto do aeroporto internacional de Suvarnabhumi.

Pelo menos uma pessoa morreu e outras 29 ficaram feridas na sequência de uma explosão, seguida de um incêndio, ocorrida na madrugada desta segunda-feira numa fábrica de produtos químicos nos arredores de Banguecoque, capital da Tailândia, indicaram fontes locais.

Devido ao perigo de ocorrerem novas explosões e novos focos de incêndio, as autoridades locais decidiram estabelecer uma área de segurança num raio de 10 quilómetros.

A medida de emergência foi adotada "devido à preocupação de que o fogo pudesse alastrar-se a um tanque com produtos químicos", indicou, em declarações à agência espanhola EFE, um porta-voz do governo da província de Samut Prakarn, nos arredores da capital tailandesa, onde fica localizada a fábrica.

Durante as últimas horas, equipas de bombeiros destacadas no local combateram vários focos de incêndio que surgiram após a explosão na fábrica, que produz espuma de poliestireno e que fica localizada perto do aeroporto internacional de Suvarnabhumi.

A vítima mortal confirmada é um bombeiro voluntário de 19 anos que foi surpreendido pelas chamas durante o combate ao incêndio, segundo informaram as equipas de resgate, igualmente citadas pela EFE.

De acordo com a contagem das autoridades locais, cerca de 700 casas e 15 veículos sofreram danos devido à forte explosão, ocorrida por volta das 03:00 locais de segunda-feira (cerca das 21:00 de domingo em Lisboa), que foi seguida por um grande incêndio que destruiu uma grande parte da fábrica.

Testemunhas locais contaram à EFE que sentiram um grande estrondo e que várias casas situadas a mais de um quilómetro de distância da fábrica sofreram danos, nomeadamente vidros das janelas partidos.

Inicialmente, as autoridades estabeleceram uma área de segurança num raio de cinco quilómetros, que foi posteriormente ampliado para 10 quilómetros.

Todas as casas e edifícios localizados até 500 metros da fábrica foram evacuados pelas autoridades.

Também em declarações à EFE, um porta-voz do aeroporto internacional de Suvarnabhumi informou que, neste momento, todas as operações prosseguem normalmente e sem alterações, apesar da proximidade da unidade fabril e da densa coluna de fumo negro provocada pelo incêndio.

As autoridades tailandesas abriram, entretanto, um inquérito para determinar as possíveis causas da explosão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de