Um novo máximo da Covid-19. Quase mil crianças internadas nos EUA num só dia

Nos Estados Unidos da América, estão internadas no total mais de 3100 crianças com Covid-19. A 29 de dezembro 23% das crianças entre os cinco e 11 anos tinham recebido pelo menos uma dose de vacina.

Perto de mil menores infetados com Covid-19 foram hospitalizados nos Estados Unidos na quarta-feira, um novo máximo diário de internamentos de crianças desde o início da pandemia, revelou na quinta-feira o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS).

O número de crianças internadas em hospitais norte-americanos quase triplicou nas últimas duas semanas, como resultado da disseminação da variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, revelou aquele departamento.

O anterior máximo para hospitalizações de crianças em apenas um dia tinha sido registado durante o pico da variante Delta, no verão de 2021, quando foram internados quase 400 menores em 24 horas.

Atualmente, estão internadas no total mais de 3100 crianças com Covid-19, noticiou a agência EFE.

Segundo a Academia de Pediatria dos Estados Unidos, a 29 de dezembro 6,5 milhões de crianças entre os cinco e 11 anos tinham recebido pelo menos uma dose de vacina contra a Covid-19, o que representava 23% do total.

Entre adolescentes dos 12 aos 17 anos, o número de vacinados com uma dose era de 15,6 milhões, 62% do total, enquanto 53% (13,1 milhões) tinham o esquema vacinal completo.

Perto de 9,5 milhões de crianças entre 12 e 17 anos ainda não tinham recebido qualquer dose de vacina.

Nos Estados Unidos, a população com menos de 18 anos é estimada em 72,8 milhões de pessoas, 22% da população do país.

O aumento de hospitalizações entre esta população coincide com o regresso às aulas após a pausa para o período festivo e nos últimos dias as autoridades norte-americanas tomaram medidas na tentativa de aumentar a proteção dos menores.

Na segunda-feira, a Agência Norte-Americana dos Medicamentos (FDA) aprovou o uso de uma dose de reforço da vacina da Pfizer para crianças entre os 12 e 15 anos.

Já na quarta-feira, uma comissão consultiva para práticas de imunização (ACIP), órgão independente dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), recomendou a administração de uma dose de reforço da Pfizer para jovens entre os 12 e 17 anos.

Perto de cinco milhões de adolescentes, entre os 12 e 15 anos, estão aptos a receber a dose de reforço, pois já completaram o período mínimo de cinco meses desde que concluíram o esquema vacinal contra a Covid-19.

A Covid-19 provocou 5.456.207 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em diversos países.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de