Um pequeno triunfo ecologista: acabar com um dos mais curtos voos do mundo

A viagem demora menos de dez minutos. É, provavelmente, o menor voo do mundo para um Boeing. Tem os dias contados e os ecologistas aplaudem esta pequena e simbólica vitória.​

O voo dura 9 minutos. É o tempo de ouvir duas ou três canções. Pode ser o tempo que estamos à espera de um autocarro ou de um táxi. É o tempo que demora o Boeing 777 de carga da Qatar Airways.​

Levantar e aterrar são dois dos momentos em que um avião liberta mais gases com efeito de estufa. Por isso, os ecologistas fizeram um coro de protestos. Perante um voo que dizem não ter sentido, fizeram algumas manifestações. Chegaram a despejar 150 quilos de lixo no aeroporto de Liège (limpando-o logo de seguida). ​

Este voo acontece entre duas cidades fronteiriças: Liège e Maastricht. São atravessadas pelo mesmo rio: Mosa. Distam uma da outra menos de 40 quilómetros. Maastricht, no sul da Holanda e Liège, na Bélgica.

O avião de carga parte habitualmente de Doha, capital do Qatar, com destino à Cidade do México e tem paragem na Europa, em Maastricht.​

Por obrigação contratual, um cliente belga exigiu levantar a carga em Liège. E assim tem sido até que as autoridades belgas não conseguiram ignorar mais os protestos.

Em terras de grandes ciclistas, a principal pergunta que se fazia era se um Eddy Merckx não faria o trajeto mais rápido. Ou seja, não apenas o tempo de voo - nove minutos - mas juntando-lhe também os preparativos da descolagem e o tempo pós-aterragem.​

Perante o ridículo da situação (e a onda de protestos), o ministro belga dos Transportes reuniu-se com diretores da Qatar Airways. A empresa aérea concordou acabar com esta rota... daqui a seis voos, ou seja​, quando terminar o contrato de transporte desta carga.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados