Uma criança torna-se refugiada quase a cada segundo, alerta a UNICEF

Nos últimos 20 dias, cerca de 1,4 milhões de crianças foram forçadas a fugir do país.

Quase a cada segundo, uma criança da Ucrânia torna-se refugiada, anunciou esta terça-feira a UNICEF, referindo que o fluxo de pessoas que fogem do país desde a invasão russa, a 24 de fevereiro, tem sido constante.

Nos últimos 20 dias, cerca de 1,4 milhões de crianças foram forçadas a fugir do país, o que representa uma média de cerca de 55 por minuto ou "praticamente uma criança por segundo", avançou o porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), James Elder, numa conferência de imprensa em Genebra.

No total, o número de pessoas que fugiu da Ucrânia atingiu os três milhões de pessoas, de acordo com a última contabilização.

"Esta crise, em termos de velocidade e escala, não tem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial", sublinhou Elder.

O porta-voz referiu ainda o aviso feito pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, que alertou para o "risco significativo de separação, violência, exploração sexual e tráfico" que essas crianças correm.

Guterres anunciou na segunda-feira a disponibilização de mais 40 milhões de dólares (36,4 milhões de euros) para a assistência vital aos "mais vulneráveis" e afetados pela guerra na Ucrânia.

"Enquanto milhões de pessoas na Ucrânia enfrentam fome e escassez de água e remédios, anuncio hoje que as Nações Unidas alocarão mais 40 milhões de dólares do Fundo Central de Resposta de Emergência para aumentar a assistência vital para alcançar os mais vulneráveis", informou o secretário-geral da ONU, num comunicado lido à imprensa na sede da organização, em Nova Iorque.

Este financiamento, segundo adiantou, ajudará a obter "alimentos, água, medicamentos e outras ajudas vitais para o país, bem como a fornecer assistência em dinheiro", acrescentou, ressaltando a "importância crucial de respeitar o Direito Internacional Humanitário".

"Pelo menos 1,9 milhões de pessoas estão deslocadas dentro do país e um número crescente está a escapar além das fronteiras. Estou profundamente grato pela solidariedade dos vizinhos da Ucrânia e de outros países anfitriões" pelos refugiados que acolheram nas últimas duas semanas, disse, reforçando que a "maioria dos que fazem a jornada traiçoeira são mulheres e crianças".

A ofensiva militar russa na Ucrânia, iniciada a 24 de fevereiro, já causou mais de 600 mortos e mais de 1.100 feridos entre os civis, incluindo mais de uma centena de crianças, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de