"Uma Europa unida contra o ódio." Costa e Ferro solidários com povo francês após ataque

Ferro Rodrigues condenou o "ataque bárbaro" perpetrado junto à catedral de Nice, e, a par de António Costa, também expressou solidariedade com os franceses.

O primeiro-ministro manifestou-se esta quinta-feira solidário com a França, depois do ataque que provocou três mortos e vários feridos no centro de Nice, considerando que este ato reforça a determinação numa Europa unida contra o ódio.

"Estamos solidários com a França. O terrível ataque na Catedral de Nice reforça a nossa determinação em manter a Europa unida contra o ódio, na defesa da liberdade e da tolerância", escreveu António Costa na sua conta pessoal na rede social Twitter.

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, enviou esta quinta-feira ao seu homólogo francês uma mensagem a condenar o "ataque bárbaro" perpetrado junto à catedral de Nice e a expressar a solidariedade do Parlamento português.

Numa mensagem dirigida ao presidente da Assembleia Nacional Francesa, Richard Ferrand, Ferro Rodrigues escreveu que "o bárbaro ataque" desta manhã em Nice, "causando vários mortos e um expressivo número de feridos, merece condenação absoluta".

"Este ataque vem pôr à prova os nossos valores e o nosso modelo de sociedade. A ameaça e a intimidação violentas não nos devem afastar do que é verdadeiramente essencial: O respeito pelos direitos fundamentais e pela liberdade", escreveu também o presidente da Assembleia da República.

Na sua mensagem, Ferro Rodrigues recorda a sua passagem por Paris, durante seis anos, em que foi o representante permanente de Portugal junto da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), considerando depois que a França "é sinónimo de liberdade e de tolerância".

"Em meu nome e em nome do Parlamento Português, transmito ao presidente da Assembleia Nacional Francesa e, de modo muito particular, às famílias enlutadas, sinceras condolências e a expressão da mais profunda solidariedade", acrescentou Ferro Rodrigues.

Duas pessoas, um homem e uma mulher, foram mortas na igreja de Notre-Dame, no centro de Nice, onde ocorreu o ataque, e uma terceira vítima, gravemente ferida, morreu num bar perto da igreja, onde se tinha refugiado.

A procuradoria antiterrorista francesa anunciou a abertura de uma investigação por "assassínio" após o ataque, em que pelo menos uma das vítimas mortais foi degolada e várias outras pessoas ficaram feridas.

Este é o terceiro ataque que ocorre desde a abertura em setembro de um julgamento de terrorismo sobre as mortes no jornal satírico Charlie Hebdo e em um supermercado judaico que ocorreram em janeiro de 2015.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de