UNICEF pede 98,8 milhões de dólares para Moçambique em 2022

Acesso a água, educação, saúde mental e reforço de vitamina A são algumas das prioridades.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou um apelo para angariar 98,8 milhões de dólares (87 milhões de euros) para "assistir 1,2 milhão de pessoas", metade das quais crianças, em Moçambique, em 2022, anunciou.

Acesso a água, educação, saúde mental e reforço de vitamina A são algumas das prioridades específicas da UNICEF, a par de outras necessidades de base às quais as Nações Unidas tentam dar resposta, como alimentação e abrigo.

A agência da ONU pretende "atender às necessidades das mulheres e crianças e preparar-se para o alto risco de eventos climáticos extremos no país", tais como ciclones, que costumam acontecer entre dezembro e abril.

"A situação humanitária em Moçambique é crítica, particularmente em Cabo Delgado, onde quase 856 mil pessoas, incluindo 414 mil crianças, estão deslocadas e precisam de assistência humanitária", refere.

A UNICEF pretende ainda fortalecer o seu trabalho "de relatar, monitorizar e responder a graves violações contra crianças".

A província de Cabo Delgado é rica em gás natural, mas tem sido aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, num conflito que já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, de acordo com as autoridades moçambicanas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de