Universidade alemã compila maior lista das plantas do mundo

O novo catálogo, salienta a instituição na informação agora divulgada, pode substituir o "The Plant List", o catálogo criado pelo jardim botânico de Londres.

O Jardim Botânico da Universidade de Leipzig, Alemanha, compilou a até agora maior e mais completa lista de nomes científicos de todas as espécies de plantas conhecidas no mundo, com mais de um milhão de nomes.

A informação foi divulgada esta quinta-feira pela instituição, segundo a qual a investigação foi conduzida pelo curador do Jardim Botânico, Martin Freiberg, que produziu o Catálogo de Plantas Vasculares de Leipzig, atualizando e aumentando os conhecimentos existentes sobre as espécies de plantas.

O novo catálogo, salienta a instituição na informação agora divulgada, pode substituir o "The Plant List", o catálogo criado pelo jardim botânico de Londres ("Royal Botanic Gardens") e que tem sido até agora a referência mais importante para os investigadores de plantas.

"No meu trabalho diário, no Jardim Botânico, deparo-me com nomes de espécies que não são claros, onde as listas de referência existentes têm lacunas. Isso implica sempre a uma investigação adicional, que me afasta do real trabalho e acima de tudo limita a fiabilidade dos resultados da investigação", disse Martin Freiberg, citado num comunicado da universidade alemã.

O catálogo, o maior do mundo, tem 1.315.562 nomes científicos de plantas. A informação foi compilada a partir de bases de dados e foi normalizada e harmonizada, de acordo com os melhores critérios possíveis, adianta a universidade.

O trabalho de Martin Freiberg teve por base 4.500 outros estudos e harmonizou discrepâncias, como diferentes ortografias e sinónimos, além de acrescentar às listas existentes milhares de novas espécies, que foram identificadas nos últimos anos, especialmente graças aos avanços nas técnicas de análises genéticas moleculares.

O catálogo tem ao todo 351.180 espécies de plantas vasculares (as que possuem vasos condutores de seiva, sendo as que não possuem plantas avasculares) e 6.160 híbridos naturais, divididos por 13.460 géneros, 564 famílias e 84 ordens.

Comparando com a obra de referência britânica, que não era atualizada desde 2013, o novo catálogo tem mais 70.000 espécies e subespécies de plantas, disse Martin Freiberg, salientando que o novo catálogo vai ser uma grande ajuda para garantir que investigadores do mundo inteiro estão a referir-se à mesma espécie quando utilizam um determinado nome.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de