Universidade alemã diz que não emitiu título académico para ministro brasileiro

Título de pós-doutoramento consta no currículo profissional do novo ministro, divulgado na semana passada pelo Ministério da Educação do país.

A Universidade de Wüppertal, localizada no oeste da Alemanha, informou esta segunda-feira que não emitiu um certificado de pós-doutoramento para o novo ministro da Educação do Brasil, Carlos Alberto Decotelli.

O título de pós-doutoramento consta no currículo profissional do novo ministro, divulgado na semana passada pelo Ministério da Educação (MEC) do país.

Decotelli ainda não assumiu o cargo, mas já é objeto de muitas controvérsias visto que a Universidade do Rosário, na Argentina, onde alegou ter completado um curso de doutoramento também negou que o brasileiro tenha obtido um certificado de conclusão do doutoramento.

A universidade do Rosário reconheceu que o futuro ministro completou os créditos obrigatórios do curso de doutoramento, mas a sua tese (monografia) final foi rejeitada e, portanto, não obteve o título de doutor.

Economista e professor universitário, Carlos Alberto Decotelli tornou-se na quinta-feira a primeira pessoa negra nomeada para o Governo do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.

Decotelli chega ao Governo substituindo o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, que renunciou após uma série de controvérsias.

Ao anunciar esta nomeação, Jair Bolsonaro citou na rede social Twitter os principais títulos académicos de Decotelli, incluindo "um mestrado na Fundação Getulio Vargas, um doutorado na Universidade de Rosário, da Argentina, e um pós-doutorado na Universidade de Wuppertal, da Alemanha".

Na sexta-feira, a Universidade de Rosário garantiu no Twitter que Decotelli "não obteve o título citado". O novo ministro corrigiu então o seu currículo, especificando que ele havia feito as disciplinas do curso na Universidade do Rosário, mas "sem realizar a defesa de tese", o que o impede de reivindicar o título de doutor.

Esta segunda-feira foi a vez da universidade alemã de Wuppertal afirmar numa declaração que Decotelli "não obteve título" de pós-doutoramento.

De acordo com um comunicado reproduzido pelos media brasileiros, Decotelli realizou uma pesquisa de três meses naquela universidade da Alemanha, em 2016, o que não é suficiente para obter um título de pós-doutoramento, que normalmente leva vários anos.

De qualquer forma, Decotelli não poderia ter reivindicado tal título sem que o seu doutoramento fosse reconhecido pela universidade argentina do Rosário.

Outras suspeitas sobre o currículo universitário do futuro ministro brasileiro também vieram à tona desde que o seu nome foi anunciado pelo Governo.

Entre as suspeitas mais relevantes estão algumas indicações de plágio em trechos na tese de mestrado entregue por Decotelli à Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro.

O jornal O Estado de S. Paulo informou esta segunda-feira que a posse de Decotelli foi adiada pelo Governo depois de reveladas as incoerências no seu currículo.

A cerimónia estava marcada para terça-feira, às 16h00, mas o Governo brasileiro já avisou que ocorrerá nesta data.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de