Venezuela deteta primeiro caso de infeção de varíola dos macacos

Tratar-se-á de um caso importado de Espanha. O paciente tinha estado em contacto com dois contagiados na cidade de Barcelona.

As autoridades venezuelanas anunciaram no domingo que foi detetado o primeiro caso de um paciente infetado pelo vírus Monkeypox na Venezuela.

Em comunicado, o Ministério do Poder Popular para a Saúde (MPPS), da Venezuela, explicou que se trata de um paciente que chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiqueita (norte de Caracas) num voo proveniente de Madrid e que teve contacto com dois contagiados na cidade espanhola de Barcelona.

"Foi isolado de forma imediata e foi-lhe feito os exames pertinentes (...), testando positivo", encontrando-se "em condições estáveis de saúde", acrescentou.

O MPPS indicou ainda que, como entidade responsável na área da saúde na Venezuela, está a proceder à "despistagem na cadeia de contágios para estabelecer um cerco epidemiológico".

O Monkeypox, da família do vírus que causa a varíola, é transmitido de pessoa para pessoa por contacto próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados.

O tempo de incubação é geralmente de sete a 14 dias, e a doença, popularmente conhecida por varíola dos macacos, dura, em média, duas a quatro semanas.

A doença é endémica na África Ocidental e Central e menos perigosa que a varíola.

A Direção-Geral da Saúde recomenda às pessoas que apresentem lesões ulcerativas, erupção cutânea, gânglios palpáveis, eventualmente acompanhados de febre, arrepios, dores de cabeça, dores musculares e cansaço, que procurem aconselhamento médico.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A VARÍOLA DOS MACACOS

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de