Viktor Orbán ameaça retirar o Fidesz do Partido Popular Europeu

O Partido Popular Europeu considera que as políticas de Orbán violam os valores democráticos e europeus do grupo político.

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, ameaçou retirar o seu partido (Fidesz) do Partido Popular Europeu (PPE) caso o grupo político europeu reformar os estatutos para expulsar alguns membros.

"Caso se venha a aprovar a proposta, o Fidesz abandona o grupo (PPE)", disse o ultranacionalista húngaro em carta dirigida ao PPE e divulgada hoje pelo governo de Budapeste.

Na carta, Orbán critica os planos de reforma para que os partidos que constituem o PPE possam ser expulsos por uma votação de maioria simples - sobretudo no caso dos parceiros que já estão suspensos, como o Fidesz, desde 2019.

Na altura, o PPE tomou a decisão por considerar que as políticas de Orbán violam os valores democráticos e europeus do grupo político europeu.

As relações degradaram-se ainda mais quando o governo húngaro acusou o então presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, de fazer parte de uma conspiração para deixar entrar no continente milhares de refugiados.

Desde essa altura, o PPE ameaçou várias vezes expulsar o Fidesz sendo que Orbán tem especulado várias vezes sobre a possibilidade de sair do grupo.

No passado mês de dezembro, o PPE impediu o eurodeputado do Fidesz, Tamas Deutsch, de intervir no Parlamento Europeu sobre a alteração dos estatutos.

Deutsch acusou o líder do PPE, Manfred Weber, de se comportar como a "Gestapo", a polícia de Estado do regime nazi.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de