Von der Leyen saúda Metsola por ser terceira mulher a presidir ao Parlamento Europeu

Reagindo à escolha dos eurodeputados, a presidente da Comissão Europeia adiantou que vão trabalhar em "estreita colaboração para a recuperação da União Europeia (UE) e para um futuro europeu verde, digital e risonho".

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, saudou esta terça-feira a maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu, pela sua eleição como nova presidente do Parlamento Europeu, a terceira mulher à frente da assembleia, esperando uma "estreita colaboração".

"Os mais calorosos parabéns a Roberta Metsola pela sua eleição como presidente do Parlamento Europeu. Enquanto terceira mulher a dirigir esta nobre casa, o seu trabalho árduo e determinação são uma inspiração para todos nós", assinalou Ursula von der Leyen, numa publicação na rede social Twitter.

Reagindo à escolha dos eurodeputados, hoje na sessão plenária da assembleia europeia, na cidade francesa de Estrasburgo, a líder do executivo comunitário adiantou: "Vamos trabalhar em estreita colaboração para a recuperação da União Europeia (UE) e para um futuro europeu verde, digital e risonho".

A maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PPE), foi hoje eleita presidente do Parlamento Europeu para a segunda metade da legislatura, até 2024, sucedendo no cargo ao italiano David Sassoli, falecido na semana passada.

Na votação realizada hoje de manhã, Metsola obteve 458 votos entre 616 votos expressos, superando por larga margem a maioria absoluta de que necessitava (309), anunciou o eurodeputado português Pedro Silva Pereira, que dirigiu o ato eleitoral enquanto segundo vice-presidente da assembleia.

Apesar de ter três oponentes nesta eleição - a sueca Alice Bah Kuhnke (Verdes/Aliança Livre Europeia), que foi a segunda mais votada, com 101 votos, o polaco Kosma Zlotowski (Conservadores e Reformistas Europeus) e a espanhola Sira Rego (Grupo da Esquerda) -, a vitória de Metsola, até agora primeira vice-presidente do Parlamento Europeu, era já esperada, em função do entendimento entre as três maiores bancadas do hemiciclo, que previa que a presidência da assembleia europeia na segunda metade da legislatura coubesse a uma figura escolhida pelo PPE, de centro-direita, após o socialista Sassoli a ter assumido nos dois primeiros anos e meio.

Roberta Metsola, que cumpre hoje 43 anos, advogada, torna-se a terceira mulher a presidir ao Parlamento Europeu -- depois das francesas Simone Veil e Nicole Fontaine -, a primeira maltesa a dirigir uma instituição europeia, e ainda a mais jovem presidente de sempre da assembleia europeia.

Ainda hoje, os eurodeputados vão eleger os 14 vice-presidentes e os cinco questores, que compõem a Mesa do Parlamento Europeu, escolha que determinará a composição deste órgão nos próximos dois anos e meio, ou seja, até 2024.

Todos os cargos eleitos do Parlamento Europeu (presidente, vice-presidente, questor, presidente e vice-presidente de comissão e presidente e vice-presidente de delegação) são renovados a cada dois anos e meio em dois anos e meio.

A eleição -- que já estava há muito agendada para esta primeira sessão plenária do ano, independentemente do estado de saúde do anterior presidente -- ocorre um dia após o Parlamento Europeu ter prestado homenagem a David Sassoli, numa cerimónia no hemiciclo de Estrasburgo, durante a qual vários dirigentes europeus destacaram o legado que deixa na Europa, marcado pela defesa dos mais vulneráveis.

Sassoli morreu em 11 de janeiro, aos 65 anos, em Itália, onde se encontrava hospitalizado desde 26 de dezembro, sendo o primeiro presidente do Parlamento Europeu a morrer em exercício de funções nas quais estava prestes a ser substituído, no cumprimento de um acordo de partilha do mandato de cinco anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de