Vulcão de La Palma expulsa lava a alturas nunca antes vistas. Veja o vídeo

Escoamento maciço do magma fez com que se formassem novos rios de lava.

O vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, está a expelir lava a alturas que, até agora, nunca tinham sido vistas. Um fenómeno que acontece depois de parte do cone se ter desmoronado na última noite.

O escoamento maciço do magma fez com que se formassem novos rios de lava que se juntam ao principal, mas não ameaçam novas zonas da ilha. As autoridades procuram, neste momento, abastecer as áreas afetadas pela falta de abastecimento de água no sul da ilha, depois de a lava ter derretido várias condutas.

A solução de emergência para garantir o abastecimento pode passar por recorrer a dessalinizadoras e navios-tanque. A lava já afeta uma área de cerca de 400 hectares, de acordo com o último relatório do departamento de segurança interna, e o delta marinho, criado pelo acumular de lava, ocupa uma área de 29,7 hectares.

Esta segunda-feira de manhã, foi sentido um sismo de magnitude 3,7 na escala de Richter, com epicentro a cerca de 11 quilómetros de profundidade, em Fuencaliente, após uma noite de grande atividade sísmica nas Canárias. Outro sismo de magnitude 3,4, igualmente ao princípio da manhã, foi localizado em Mazo e foi sentido pelos habitantes.

Entre um terramoto de magnitude 3,7, localizado a sudoeste de Mazo, cerca das 20h15 de domingo, e o último registado às 7h20 desta segunda-feira, o Instituto Geográfico Nacional (IGN) contabilizou 40 tremores de terra ocorridos entre Mazo e Fuencaliente. Os técnicos do IGN referem que a atividade sísmica registada na zona está ligada à erupção vulcânica que se regista há quase 15 dias em Cumbre Vieja mas descartam a possibilidade de novas erupções em outras zonas da ilha de La Palma, Canárias.

No domingo à noite, a queda parcial da estrutura das paredes do cone do vulcão uniu as zonas de erupção provocando um caudal maior de lava e que alcança, em determinados pontos, quase um quilómetro de largura. Por outro lado, as cinzas afetam principalmente a vertente sul de La Palma sendo que é possível que as partículas mais pequenas possam vir a alcançar a ilha de El Hierro, refere o DSN.

Devido à concentração de cinzas que deterioram a qualidade do ar, as equipas de emergência e técnicos foram afastados do local, assim como moradores da área. No domingo registaram-se as emissões de 16 mil toneladas de dióxido de enxofre (SO2), de acordo com o Instituto de Vulcanologia das Canárias (Involcan).

A distribuição da corrente elétrica continua a funcionar, assim como a operacionalidade das telecomunicações, mas o abastecimento de água potável e para a agricultura está afetada sobretudo nas zonas de El Paso e de Los Llanos de Aridane.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de