Zelensky pede à União Europeia para decidir agora adesão da Ucrânia

O Presidente ucraniano esteve, esta manhã, em conversações com o presidente do Conselho Europeu e com o Presidente francês.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu, este sábado, à União Europeia (UE) para tomar agora uma decisão sobre a adesão do seu país ao bloco europeu.

"Está na hora de encerrar, de uma vez por todas, a longa discussão e decidir sobre a adesão da Ucrânia à União Europeia", escreveu Volodymyr Zelensky através do Twitter, depois de ter falado ao telefone com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no que descreveu como "um novo dia na frente diplomática".

O Presidente ucraniano disse ter discutido com Charles Michel a "ajuda efetiva e a luta heroica dos ucranianos pelo seu futuro livre".

Volodymyr Zelensky falou também com o Presidente francês, Emmanuel Macron, garantindo, num outro 'tweet' sobre este telefonema, "que as armas e equipamento dos nossos parceiros estão a caminho da Ucrânia".

"A aliança contra a guerra está a funcionar", referiu depois de uma noite difícil de luta do exército ucraniano contra as tropas russas.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocaram pelo menos 198 mortos, incluindo civis, e centenas de feridos, em território ucraniano, segundo Kiev. A ONU deu conta de 120.000 deslocados desde o início dos combates.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa "desmilitarizar e 'desnazificar'" o seu vizinho e que era a única maneira de o país se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário, dependendo de seus "resultados" e "relevância".

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), UE e Conselho de Segurança da ONU, tendo sido aprovadas sanções em massa contra a Rússia.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO RÚSSIA-UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de