Ana Gomes: obviamente, candidate-se

Daniel Oliveira defende que Ana Gomes deve candidatar-se à Presidência da República enquanto alternativa de esquerda às candidatura do regime, de Marcelo Rebelo de Sousa, e da extrema-direita, de André Ventura.

No espaço de comentário que ocupa semanalmente na TSF, o jornalista defendeu que a ex-deputada europeia do PS é a candidata à esquerda de Marcelo Rebelo de Sousa com mais hipóteses de conseguir uma boa votação e evitar que estas sirvam de "trampolim" para as legislativas para o candidato do Chega.

Daniel Oliveira começou por criticar a atitude do primeiro-ministro e líder do PS, António Costa, ao ter declarado o apoio à candidatura do atual Presidente da República, na última semana, durante uma visita a uma fábrica.

O comentador classifica a decisão de António Costa como "lamentável", quer "pelo lugar", quer pelo "momento" escolhidos para anunciar este apoio, mas, principalmente, por tê-lo feito "sem qualquer debate interno no PS, como seria normal em qualquer partido democrático".

Daniel Oliveira afirma que o líder socialista cometeu um "erro grave", que "vai contra tudo" o que António Costa disse no passado sobre "a necessidade de haver alternativas entre a esquerda e a direita".

O jornalista lembra que a sociedade atravessa uma grave crise e que a direita, em particular o CDS, está a ser engolida pelo Chega, pelo que "este é o pior momento para haver um candidato do Bloco Central".

Na opinião de Daniel Oliveira, as presidenciais são uma ponte para as legislativas para a extrema-direita e, neste momento, André Ventura tem tudo a seu favor: um clima que propicia a insatisfação popular, um candidato de direita apoiado pelo PS (o que virá afastar vários eleitores de direita que se opõem ao Governo de Costa) e pode apresentar-se como o único candidato contra o regime, sem ter outros concorrentes à direita. Com estas condições reunidas, diz o comentador, o candidato do Chega "pode até sonhar em ser o segundo mais votado".

"A única pessoa que me parece capaz de alterar este cenário é Ana Gomes", declara Daniel Oliveira.

Para o jornalista, com ou sem o apoio do PS, a ex-eurodeputada nunca será vista como uma candidata socialista - e isso será um ponto a seu favor. "A independência de Ana Gomes tem provas dadas, assim como a sua imagem de coragem", defende.

Daniel Oliveira não tem dúvidas de que Ana Gomes é a candidata à esquerda de Marcelo Rebelo de Sousa que menos corre o risco de ficar atrás de André Ventura. "Entra no eleitorado de direita, entra com bastante facilidade no eleitorado do PS que não quer votar em Marcelo Rebelo de Sousa, e entra em grande parte do eleitorado à esquerda do PS", justifica o comentador. Mas, acima de tudo, "desvia para o campo democrático o voto contra a corrupção que oportunistas tentam capturar".

O único problema que o comentador encontra que pode fragilizar a candidatura de Ana Gomes é a falta de tempo "para tomar uma decisão". "No campo à esquerda do PS ainda não aconteceu nada, mas pode acontecer muito brevemente", lembra.

O jornalista recorda que o Bloco de Esquerda pode ainda avançar com uma candidatura da também eurodeputada de esquerda Marisa Matias, o que "seria uma candidatura redundante à de Ana Gomes".

Nesta altura, o "relógio joga contra Ana Gomes". Mas Daniel Oliveira faz o apelo: obviamente, candidate-se.

Texto: Rita Carvalho Pereira

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de