Bon Iver: o gospel que veio do futuro

22, A Million é uma viagem inesquecível. Após anos de incerteza sobre o futuro dos Bon Iver, Justin Vernon diz-nos no novo álbum que tudo isto pode acabar em breve... mas não fica por aí.

"It might be over soon": assim começa 22, A Million, o novo álbum de Bon Iver. De certa forma, é o resumo perfeito.

Justin Vernon, o homem por trás da banda, não lidou muito bem com o sucesso que os brilhantes álbuns For Emma, Forever Ago (2008) e Bon Iver, Bon Iver (2011) lhe trouxeram. Teve de se afastar do projeto, de lidar com uma depressão - teve de se redescobrir. Houve projetos paralelos e colaborações (o álbum de Volcano Choir e as colaborações com James Blake e Kanye West são os exemplos mais óbvios), mas de Bon Iver poucas novidades houve.

"It might be over soon" era o que Justin Vernon tinha na cabeça quando deu por si sozinho e profundamente infeliz nas ilhas gregas, no tal processo de redescoberta que, durante muito tempo, não correu muito bem. Mas a verdade é que correu suficientemente bem para que setembro tenha terminado com um novo álbum de Bon Iver lançado ao mundo. A ameaça do verso parece manter-se viva, mas a sua dualidade também: isto pode acabar em breve, mas tanto o "isto" como o "em breve" são suficientemente genéricos para nos deixar sem certezas.

A única certeza que 22, A Million nos dá é sobre o fulgor artístico de Bon Iver. Podemos perder-nos em comparações com os álbuns anteriores, partir a cabeça a tentar explicar as letras impressionistas e os títulos estrambólicos, fazer contas com os números referidos ao longo de todo o disco. Mas durante aqueles 34 minutos entre o verso inicial e o último acorde de piano de "00000 Million" estamos num mundo à parte. Vozes distorcidas por instrumentos inventados, dezenas de faixas de saxofone em harmonia perfeita, batidas sujas, fitas estragadas, baladas inspiradas por Bruce Hornsby e deliciosos pormenores até perder de vista tornam 22, A Million no portento pelo qual muitos esperavam, mesmo os que não estavam realmente à espera disto. E quem poderia realmente estar à espera disto?

É um mundo à parte, este em que as paisagens pastorais de "29 #Stafford APTS" e "00000 Million" convivem com a eletrónica certamente criada por ciborgues cheios de coração que podemos ouvir em "10 d E A T h b R E a s T" ** e "715 - CREEKS" **. E o que dizer das forças sobre-humanas de "33 "GOD"" e "666" ** ou das maravilhosas intenções baladeiras de "8 (circle)"?

22, A Million é gospel que veio do futuro para nos dizer não só que isto pode acabar em breve, mas também que ainda não acabou. Parece impossível, mas pode ser que o melhor de Bon Iver ainda esteja para vir.

* editor do strobe.pt

** Os títulos destas canções incluem caracteres especiais impossíveis de reproduzir aqui

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados