"Gostava de deixar um legado como professor"

A frase que serve de suporte ao presente texto, convoca especial atenção pelo seu conteúdo (brilhante!), mas muito mais pelo facto de quem a proferiu ser o atual Presidente da República, a 4 anos de terminar o mandato.

Talvez entenda ser uma obrigação, enquanto professor (título do qual tem orgulho em ostentar), prestigiar uma classe que não tem merecido a devida estima e consideração por parte dos sucessivos governos e, por via disso, pretender ser recordado não como Chefe de Estado, mas como docente. Por isso, querendo voltar à escola, tem como objetivo dar aulas a jovens do ensino não superior, conforme referiu numa entrevista recentemente emitida num canal de televisão.

E o melhor legado que poderá deixar como professor é contribuir para voltar a tornar atrativa a carreira docente.

Com o devido respeito, apresento algumas sugestões para que se perpetue no pensamento dos presentes e futuros professores, tentando corresponder ao repto do título. É uma oportunidade de ouro!

O que escrevo a seguir, não sendo novidade (tenho escrito e falado assiduamente), é urgente:

· dignificar e valorizar a carreira docente, melhorando as condições de trabalho (salários condignos, menos burocracia, apoio na estadia e deslocações...), tornando muito desejada a profissão mais bela do mundo;

· investir fortemente nos recursos humanos (para além da escassez de docentes, atuais professores, descontentes, requere(ra)m licença sem vencimento experimentando outras áreas, podendo abandonar o sistema...), apostar e valorizar a sua continuada qualificação, também ao nível dos técnicos especializados, assistentes técnicos e operacionais;

· alterar a avaliação do desempenho docente e dos diretores (o atual sistema é injusto e inócuo, contribuindo muito mais para a divisão da classe em vez da efetiva atribuição do mérito);

· respeitar os professores contratados, dos quais o sistema de ensino se tem servido, despedindo-os no final de cada ano escolar para voltar a utilizá-los no ano seguinte, quantas vezes com horários completos e anuais atribuídos nos primeiros dias de setembro.

Os sucessivos ministérios das Finanças quase ignoraram a existência de uma área crucial na governação. Todos os seus responsáveis passaram pelos bancos das escolas, usufruíram dos ensinamentos dos seus professores (muitos dos quais não esquecem), devem tudo à Educação, mas na hora de reconhecer o devido e justo valor olvidam a resolução dos seus problemas (alguns perduram ao longo dos tempos, outros avolumam-se ano após ano), não contribuindo para a sua resolução.

O Professor Marcelo Rebelo de Sousa tem um vasto campo para deixar um legado de excelência como professor, exercendo influências positivas no lugar que ocupa, e posteriormente ao exercício do cargo, com o agradecimento de todos os profissionais que no dia a dia dão o melhor de si.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de