O escrutínio laranja arranca segunda-feira

Tim-tim por tim-tim! Luís Montenegro quer saber tudo o que está mal no país pela voz das populações. Prometeu e diz que vai cumprir. A partir de amanhã, o presidente do PSD toma o pulso ao país e faz-se à estrada a caminho de Viseu.

Começa aí o programa "Sentir Portugal", que o levará, ao longo dos próximos dois anos, a passar uma semana por mês em cada um dos distritos do país. Por outras palavras, Montenegro vai escrutinar Portugal de lés e lés e promete não dar descanso ao Governo.

A ver vamos se o PSD adormecido e ausente das ruas, dos palcos e do papel de maior partido da oposição durante os últimos anos, muda agora de registo e de caminho.

Montenegro quer encetar uma nova era. A democracia agradece. Toda a oposição, da Esquerda à Direita, deve ser viva, exigente, incómoda e tirar o poder da zona de conforto. Mas as promessas de fazer oposição forte e construtiva não bastam, agora é preciso cumprir, mostrar qualidade e esgrimir argumentos.

A coesão territorial não deverá ser esquecida nesta presidência aberta laranja. À conversa com a comunicação social de enquadramento da iniciativa, Montenegro afirmou que o programa vai incluir a Madeira e os Açores e também a algumas comunidades portuguesas na Europa e Fora da Europa.

Vale a pena recordar que a promessa destas deslocações foi feita no encerramento do Congresso em que Montenegro foi confirmado como líder do PSD, em 1 de julho... e começar por cumprir uma promessa é, para começo de reinado, um bom sinal.

Quantos às restantes promessas, falta ainda ver para crer. O líder do maior partido da oposição quer mais "proximidade", "intimidade com o país e com os eleitores" e "compreender o contexto das preocupações, das causas das pessoas", explicou.

O desafio seguinte, admite, é convencer as pessoas a votar no PSD. Garante que "não espera que o poder lhe caia no colo" e, talvez por isso mesmo, vai à procura do poder popular nas pequenas e grandes cidades. Mas o afastamento dos portugueses em relação ao PSD foi grande.

Vai ser uma tarefa hercúlea reerguer o partido de Francisco Sá Carneiro. O outro desafio é tornar-se conhecido do povo e ganhar a tal característica dos grandes líderes ou de uma grande rainha, como Isabel II: o carisma. Mas o caminho faz-se caminhando.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de