Destaques

Mais Opinião

Pedro Adão e Silva

E se a geringonça for um arco-íris?

1. Em oito eleições europeias, por quatro vezes o partido do Governo venceu. É um facto que o voto em europeias tende a ser mais livre e com menos cálculos estratégicos sobre as consequências de cada escolha individual. Em todo o caso, em metade das eleições essa liberdade não foi suficiente para penalizar excessivamente quem governava. Talvez mais significativo, quando o partido de Governo venceu as europeias, nas legislativas seguintes cresceu sempre - foi assim com Cavaco Silva em 1987 (no mesmo dia teve 37,4% em europeias e 50,2% em legislativas), de novo em 1989 e 1991 (cresceu de 32,75% para 50,6%) e com Guterres em 1999 (de 43% para 44,1%).