Mais Opinião

Inês Cardoso
Inês Cardoso

Os jovens não são inconscientes. São jovens

Começámos o tempo de estranheza que vivemos a olhar para os mais velhos - e por vezes a policiar os seus passos e saídas à rua. Nos últimos dias o olhar virou-se para os jovens e temos ouvido sucessivos apelos para que respeitem as regras de isolamento social. Já no fim de semana, Marcelo Rebelo de Sousa pediu mais contenção, referindo-se a festas em que os jovens não pensam no risco que julgam não correr. Também a ministra da Saúde realçou o aumento de contágios entre os jovens adultos, admitindo ser necessário reforçar a comunicação com esta faixa. Vão sendo divulgadas operações policiais que dão conta de festas privadas e a Câmara de Cascais proibiu entretanto a venda de bebidas alcoólicas nas bombas de combustíveis do concelho, entre as 20 e as 8 horas da manhã, depois de se terem formado filas e até incidentes nalguns postos.

Anselmo Crespo
Anselmo Crespo

Um Plano Marshall contra o populismo

O plano de recuperação proposto esta semana pela Comissão Europeia não desiludiu os mais otimistas, mas também não transformou os pessimistas em crentes. Os "épicos" - como já lhes chamaram alguns - 2,4 biliões de euros para reconstruir a economia europeia não vão dar para tudo, mas simbolizam um esforço dos Estados-membros - de alguns, pelo menos - para salvar a Europa de uma desintegração que teria efeitos ainda mais catastróficos que a pandemia do novo coronavírus.

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

A maior mentira da pandemia

Chegou a ser comovente a forma como encaramos o início da Covid-19, tratando o novo coronavirus como uma coisa democrática que não fazia distinções sociais, ameaçando de igual forma pobres e ricos. Ainda há quem pense assim, porque de facto, apanhados pelo vírus, as consequências seriam iguais para ricos e para pobres. E seria assim, se o vírus circulasse apenas por países com sistemas nacionais de saúde que acodem democraticamente a todos. Mas como sabemos, uma coisa é viver na Europa e outra bem diferente é viver na América Latina, em África e até mesmo nos Estados Unidos da América, onde o sistema de saúde se encarrega de distinguir ricos e pobres.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

A linha da frente agora tem de ser maior

Passámos os últimos meses a falar na "linha da frente" e no papel insubstituível dos profissionais de saúde. Um papel de sacrifício que implicou uma exposição ao risco que levou a que milhares adoecessem, que vissem as férias suspensas, que nalguns casos optassem por se afastar voluntariamente da família para a protegerem do risco de contágio. A atividade de médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares deve continuar para além do pico da pandemia, mas agora temos, a somar à crise sanitária, uma crise económica e social que todos os dias ganha tamanho e que exige uma gigantesca linha da frente, pública, essencial para os cidadãos e empresas.

Ensino de emergência… até quando?
Filinto Lima

Ensino de emergência… até quando?

"Creio que quando a nossa vida voltar à normalidade... a escola acolherá os seus queridos alunos e professores de braços abertos, com a saudade própria que cresceu a par do isolamento e do individualismo que a Educação não comporta. Os alunos perceberão o quão importante é estar e aprender na presença dos colegas, partilhar, em colaboração e respeito, espaços coletivos (salas de aula, recreio, biblioteca, cantina,...), desenvolver atividades em grupo, brincar e até fazer pequenas traquinices", In TSF, 22.03.2020, Filinto Lima

Anselmo Crespo
Anselmo Crespo

O Quarteto dos 3 Políticos Marcelo e Costa

Se formassem uma banda, desafiariam até os ouvidos menos sensíveis, mas só ouvia quem queria. Mas como são quatro dos mais relevantes protagonistas políticos do país, o caso é mais sério. Nas últimas duas semanas, António Costa, Rui Rio, Marcelo Rebelo de Sousa e Mário Centeno montaram um verdadeiro festival de jogadas políticas. Lembra-se do Quarteto dos 3 Irmãos Pedro e Paulo? No palco principal, hoje temos o Quarteto dos 3 Políticos Marcelo e Costa.

Adolfo Mesquita Nunes
Adolfo Mesquita Nunes

Capitalização política do medo do desamparo económico

A decisão de suspender a economia, que é outra forma de dizer que a criação de riqueza foi suspensa, arrastará famílias e empresas para situações de grande vulnerabilidade. Tendo essa sido uma decisão estadual, por mais compreensível e proporcional que possa ter sido, é de elementar noção que os Estados partilhem com famílias e empresas os riscos e as consequências da mesma, razão pela qual foram apresentados programas públicos de apoio à economia por muitos países.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

A igreja portuguesa e os abusos sexuais

São as primeiras queixas de alegados abusos sexuais cometidos por elementos do clero recebidas, em Portugal, através das recentemente criadas comissões de proteção de menores e pessoas vulneráveis. A arquidiocese de Braga, umas das primeiras a criar este serviço de acompanhamento, na sequência das orientações do Papa e da Conferência Episcopal Portuguesa, divulgou as primeiras denúncias recebidas, seguindo-se dados (pouco claros) de outras dioceses.

Rodrigo Tavares
Rodrigo Tavares

Quarentena Permanente para Comentadores de Futebol

Com o regresso do futebol aos estádios regressam também os comentadores às televisões. Os segundos precisam dos primeiros, mas os primeiros não precisam dos segundos. E nós também não. Cada um dos 90 minutos do jogo traduzir-se-á em dezenas de horas de comentários, em todos os canais de TV, na rádio, nos jornais. Portugal tem mais jornais diários de futebol do que o Brasil (a pátria de chuteiras), mais programas televisivos de futebol do que a Itália (onde se praticava o harpastum, um dos precursores do futebol) e mais comentadores de futebol do que o Reino Unido (que tem o campeonato nacional mais rentável financeiramente).